Tag

Arquivos web - DP Sistemas

NFE 4.0 e ERP Web Posseidom

By | NF-e, POSSEIDOM, SPED

A nova versão da Nota Fiscal, a NFe 4.0, entra em vigor em 02 de agosto de 2018, com novo layout/leiaute, campos de preenchimento e regras de validação e assim sendo a clientes que já utilizam nosso ERP WEB Posseidom não terão que se preocupar com o sistema operacional utilizado nas sua maquinas, nosso sistema pode ser executado em Windows, Linux ou MacOS, contudo existem alguns pontos que devem ser observados.

Produtos devem estar com o código EAN (Código de Barras) corretamente informados.

Produtos farmacêuticos devem ser informados os dados do lote e validade.

Quais são as principais mudanças da NF-e 4.0?

Protocolo TLS 1.2: O uso do protocolo SSL como padrão de comunicação será abandonado a partir da NF-e 4.0. De agora em diante, será adotado o padrão TLS 1.2 ou superior. A medida tem como objetivo tornar todo o processo mais seguro.

Vendas ambulantes: a partir de agora, a opção “Operação presencial, fora do estabelecimento” fica disponível. Ela é destinada às vendas ambulantes, cada vez mais comuns no comércio atual.

Fundo de Combate à Pobreza (FCP): em operações com Substituição Tributária, será possível identificar o valor do percentual de ICMS nos campos de preenchimento do FCP, seguindo o que determina o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal em seu artigo 82.

Indicador de Pagamento: o campo agora passa a fazer parte do Grupo de Informações de Pagamento, com o valor do troco sendo incluído, além da forma de pagamento utilizada (cartão de débito ou crédito, dinheiro, cheque ou vale-alimentação).

Rastreabilidade de Produto: um novo grupo que vai permitir que produtos sujeitos a algum tipo de restrição sanitária sejam rastreados.

Medicamentos: criação de um campo específico para medicamentos, onde deve ser informado o código da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Grupo X-Informações do Transporte da NF-e: criação de duas novas modalidades nesse campo: Transporte Próprio por Conta do Remetente e Transporte Próprio por Conta do Destinatário.

Grupo Total da NF-e: um novo campo no qual será apresentado o valor total de Impostos sobre Produtos Industrializados (IPI), usado em caso de mercadoria devolvida por parte de estabelecimentos que não contribuam com o referido imposto.

 

MDF-e Manifesto Eletronico de Documentos

By | MDF-e, POSSEIDOM

As empresas que realizam transporte de cargas e mercadorias sabem que a quantidade de documentos que precisam enviar junto com a carga é grande, como nota fiscal/DANFE e DACTE. Desta forma, quando o veículo é parado em algum posto de fiscalização, o motorista precisa entregar todos esses documentos para a fiscalização, que irá conferir e validar as informações. Para facilitar todo esse processo, em dezembro de 2010 foi instituído o Manifesto de Documento Fiscal eletrônico ou MDF-e. O documento é válido em todo território nacional e exigido quando há necessidade de trânsito entre municípios.

A emissão do MDF-e será obrigatória, sempre que haja transbordo, redespacho, subcontratação ou substituição do veículo, do motorista ou de contêiner, ou inclusão de novas mercadorias ou documentos fiscais, para o emitente de NF-e, no transporte intermunicipal de bens ou mercadorias, realizado em veículos próprios ou arrendados, ou mediante contratação de transportador autônomo de cargas.

O principal objetivo do Manifesto é agilizar toda a burocracia que envolve o transporte de cargas, padronizando os processos por meio de um documento único e eletrônico que servirá de modelo para a toda a cadeia logística. Outra vantagem é a economia de papel e de espaço físico para armazenamento de documentos, já que apenas o DACTE precisa ser impresso.

Com isso, o MDF-e contribui para a redução do tempo de fiscalização, uma vez que permite que o fiscal faça a leitura de todos os documentos de uma só vez. Essa prática é muito benéfica para diminuir o prazo de entrega, reduzindo, consequentemente, os atrasos nas entregas de produtos.

O fisco pretende intensificar a fiscalização quanto ao Manifesto já a partir do próximo mês.

Orientamos a todos que efetuam o transporte de mercadorias em veículos próprios ou de terceiros a entrarem em contato com nosso departamento comercial (comercial@dpsistemas.com.br / 79-3259-1038 ) e ative o modulo de Manifesto Eletrônico.

 

https://mdfe-portal.sefaz.rs.gov.br/site/faq

 

#erp #gestao #posseidom #web #webposseidom #mdf-e #sped

5 vantagens de ter o PCP integrado ao ERP

By | ERP, POSSEIDOM

Ter um negócio está ficando cada vez mais complicado. Mesmo nas pequenas ou médias empresas, é necessário controlar inúmeras etapas. Como fazer para monitorar tudo? Para isso, é fundamental a integração de duas ferramentas. O PCP e o ERP.

O que são?

O PCP, Planejamento e Controle da Produção, é um processo que envolve o controle geral da produção. Ele é encarregado de gerenciar os recursos e o andamento da produção durante todo o percurso. Já o ERP é, em português, o Planejamento de Recursos da Empresa. Trata-se de um software que controla os recursos da empresa, sejam de material, de pessoal ou outros.

Mas quais são as vantagens de fazer uma comunicação entre ambas?

1 – A automatização dos processos

Uma das maiores vantagens do uso do ERP é a automatização de alguns processos. Isso poupa tempo e esforço dos funcionários fazendo com que essa energia pode ser colocada em outra função, provendo um ganho de produtividade. A digitalização dos processos também reduz o custo com materiais físicos, como papel.

Um exemplo de um processo que pode ser automatizado pelo uso do ERP, é o processamento dos salários.

2 – A facilidade de acesso às informações

Quanto tempo é perdido procurando uma informação? Com o ERP, esse problema não existe mais. Como ele controla os recursos da empresa, o acesso a informação é muito mais fácil, rápido e conveniente. E como o sistema é integrado, não há necessidade de ficar procurando dados sobre diferentes setores. Além disso, a atualização é feita em tempo real, portanto, com o software a disposição, possíveis reuniões de controle são muito mais rápidas, pois as informações estão imediatamente disponíveis.

3 – O controle sobre todo o ambiente

O controle é uma etapa fundamental sobre qualquer projeto. Com o ERP, é possível controlar todos os setores da empresa e do processo. Além disso, existe a ajuda na visualização ainda do andamento do processo perante o que foi planejado.

Qualquer problema ou situação que o cliente pode apresentar é facilmente resolvido graças às informações coletadas no software. Uma documentação digital do processo é fundamental para evitar possíveis erros e encontrar os acertos.

4 – A uniformização

Para negócios maiores, um único sistema pode ajudar a facilitar a uniformização das informações, facilitando a comunicação entre elas. Empresas com mais de uma unidade, por exemplo, podem ter um RH unificado, deixando mais claro os benefícios em todos os estabelecimentos.

5 – O aumento de produtividade

A combinação dessas vantagens leva a um considerável aumento da produtividade. Com todas as informações em um único sistema e com todos os segmentos do seu negócio podendo visualizar em tempo real, assim que um cliente novo aparece, todos os setores já sabem o que precisam fazer. A comunicação, e a atribuição das funções se tornam muito mais fácil e rápida, e por conta da documentação, as responsabilidades ficam muito mais claras.

Essas são apenas algumas das vantagens do ERP integrado ao planejamento e controle de produção.

#dpsistemas #coder #coding #programmer #computer #computerscience #study #programming #developer #software #softwaredeveloper #google #softwareengineer #geek #tech #technology #entreprenuer #startups #startup #workspace #webdeveloper #webdesign #programmers #webdevelopment #tecnologia #erp #web #Processos #Empresas #Desempenho

Gestão de estoque: 9 dicas para aprender como fazer

By | POSSEIDOM

Gestão de estoque é das tarefas mais básicas de uma empresa. Significa saber a quantidade exata de cada item na empresa (produto ou matéria-prima) e o valor monetário total da quantidade de cada um deles.
As consequências de não realizar um controle eficiente são, a curto prazo, a detecção de furos (a quantidade física de itens não é a mesma que está registrada no sistema ou fichas de estoque), tornando, aliás, impossível verificar se tudo foi vendido ou se houve desvio também; a longo prazo, fica-se sem saber qual o consumo de cada produto, e acaba-se gastando mais do que o necessário, além de maior risco de haver estoque parado, o que quer dizer dinheiro parado.

Por isso, algumas dicas para cumprir esta tarefa da melhor maneira possível:

1-Contratar um gestor de confiança e eficiente (organizado e experiente).

2-Quais os cuidados com fornecedores? Além de escolher os que oferecem produtos de melhor qualidade e preço, é preciso ter em mente também a agilidade de entrega.

3-Como estocar cada produto? O lugar de cada produto deve ser bem pensado, levando em conta as características de cada um (circulação de ar, temperatura, exposição ao Sol, poeira, etc.).

4-O que é ficha de estoque? Ela permite o controle de entradas e saídas de cada produto. Pode ser física ou estar num sistema informatizado. O melhor é que seja preenchida logo que a mercadoria chegue (basicamente com quantidade de itens, valor unitário do produto e valor total do lote), e que seja registrada nela cada saída assim que ela acontecer, não deixar para depois. Cada produto tem sua ficha.

5-O que é inventário rotativo? É um sistema que institui que a cada dia determinados produtos sejam contados, registrados e seu valor total calculado. É uma maneira de distribuir essa tarefa pesada para vários dias, e não deixar passar detalhes de apuração, incluindo datas de vencimento.

6-Outros métodos de controle de estoque: Há vários, como o PEPS (Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair). Este controle se baseia no tempo de permanência dos produtos, sendo que os que estão há mais tempo têm prioridade para serem vendidos. Também dá para calcular o dinheiro ganho e o dinheiro ainda em potencial pelo preço do último lote: é a UEPS (Último a Entrar, Primeiro a Sair). Pesquise qual método é o mais adequado para a sua empresa.

7-Periodicidade de vendas: verificar quais produtos estão vendendo mais ou menos, levando em conta fatores como sazonalidade, por exemplo. Isso é importante para evitar estoque encalhado, e que possa até passar do prazo de validade, o que significa perda de dinheiro.

8-Programação de compras: para evitar ficar na mão quando mais precisa. Além disso, planejar com antecedência permite mais negociação (até com pagamentos a prazo, se for necessário), enquanto que deixar para comprar em cima da hora é garantia de preços mais salgados, muitas vezes desnecessariamente.

9-Quando fazer uma queima de estoque? Quando for necessário equilibrar as contas: você tem um produto encalhado em grande quantidade, e precisa reaver o dinheiro.

#dpsistemas #coder #coding #programmer #computer #computerscience #study #programming #developer #software #softwaredeveloper #google #softwareengineer #geek #tech #technology #entreprenuer #startups #startup #workspace #webdeveloper #webdesign #programmers #webdevelopment #tecnologia #erp #web #Processos #Empresas #Desempenho

 

5 beneficios em ter o Marketing digital dentro do sistema ERP

By | Marketing Digital, Nuvem, POSSEIDOM

O ERP é uma ferramenta que pode otimizar e revolucionar a gestão de sua empresa tornando todos os processos mais integrados, simples, menos custosos e mais eficientes para todas as áreas do seu negócio, em especial o gerenciamento financeiro e de vendas.

Entretanto, com o crescimento da importância do marketing dentro das empresas, além dos crescentes investimentos das companhias, como as estratégias de conquista e fidelização do público, a integração entre o marketing digital da empresa e o sistema ERP garantem resultados ainda mais positivos para a companhia.

Quer saber como? Então confira 5 benefícios de ter marketing digital dentro de seu ERP.

Informações completas de clientes e leads

Quando o seu ERP está ligado às ações de marketing, é possível utilizar as informações já captadas de leads e clientes para lançar campanhas eficientes de fidelização e captação de novos consumidores.

Por exemplo, se a sua empresa está para anunciar um desconto, as informações dos clientes presentes no ERP podem ser baixadas pelo marketing para o lançamento de um e-mail para cada consumidor, de forma personalizada, o que aumenta a taxa de leitura e de adesão por parte da clientela.

Gestão de investimentos em marketing

Marketing é indispensável para qualquer empresa, mas também possui seus custos. Usando a interação com o ERP, é possível ver quanto de seu orçamento está sendo utilizado para as estratégias de marketing, a fim de verificar a sua viabilidade e o retorno financeiro em vendas, possibilitando assim uma possível mudança de atitude se os resultados das campanhas não forem como o esperado.

Ligação entre marketing e vendas

Quando se lança uma campanha de marketing digital como, por exemplo, a assinatura de um feed ou a disponibilização de um conteúdo gratuito para seus clientes, eles deixam algumas de suas informações pessoais que poderão ser aproveitadas pelos seus vendedores a fim de encaminhar e fechar mais vendas.

É mais uma das formas de novos consumidores entrarem para o seu funil de vendas, sem que vendedores tenham de, ativamente, ir atrás de clientes por telefone ou outros meios.

Relatórios para a construção de estratégias

O seu sistema ERP poderá gerar relatórios financeiros, comerciais, de estoque e até mesmo do próprio marketing para dar um panorama de como os clientes reagem à marca, as campanhas publicitárias e aos diferentes momentos que a economia varia durante um ano.

Com estes relatórios, o time de marketing poderá discutir a nova estratégia para o próximo mês, bimestre ou quarter, se tornando mais assertivos, uma vez que tomarão decisões de acordo com informações reais e precisas.

Ferramentas de comunicação com o cliente

Além de campanhas como e-mail marketing, a ligação com o ERP facilita o contato com o cliente de forma geral! Isso permite uma ponte entre a sua empresa e o consumidor para, por exemplo, averiguar o grau de satisfação com os produtos e serviços oferecidos pelo seu negócio.

Permite ainda usar comunicações bastante simples, mas que têm resultados ótimos como o disparo de SMS, o que estreita a relação com o consumidor, tornando-o mais fiel, uma vez que constrói um sentimento de empatia em relação ao seu empreendimento.

Invista com consciência em um ERP que une marketing à gestão!

#dpsistemas #coder #coding #programmer #computer #computerscience #study #programming #developer #software #softwaredeveloper #google #softwareengineer #geek #tech #technology #entreprenuer #startups #startup #workspace #webdeveloper #webdesign #programmers #webdevelopment #tecnologia #erp #web #Processos #Empresas #Desempenho

5 dicas de gestão para pequenas empresas crescerem no mercado

By | ERP, POSSEIDOM

As pequenas empresas são indispensáveis para a nossa economia. São cerca de 9 milhões de micro e pequenas empresas, responsáveis por quase 30% do nosso Produto Interno Bruto (PIB). Além de movimentar muito dinheiro, os pequenos empreendimentos contratam muita gente e garantem uma renda maior.

Entretanto, para poder contar com sucesso e crescimento dentro de um mercado que é cada vez mais concorrido, bastante regulado e muito hostil, a sua empresa precisa de uma gestão de qualidade. Nessa hora, amadorismos não são perdoados, e o seu negócio pode sair no prejuízo sem o gerenciamento adequado.

1 – Corte custos operacionais

Toda empresa bem gerida opera nos menores custos possíveis. Custos operacionais estão basicamente em todos os setores e lugares de sua empresa. Mesmo pequena, certamente, é possível estabelecer uma auditoria de custos para diminuir as despesas de seu negócio. Dicas: use menos papel, economize em energia elétrica, recicle, terceirize serviços adjacentes, como limpeza e transporte, entre outros.

2 – Tenha uma boa gestão financeira e de estoque

A sua pequena empresa só irá decolar se você tiver um bom controle de cada centavo que entra e sai dos cofres do empreendimento. Por isso, acompanhe as finanças do negócio de forma rigorosa, usando o fluxo de caixa. Além disso, vale a pena ter um gerenciamento preciso das dívidas e dos recebimentos da sua empresa, tanto para o presente, como para os próximos meses.

Controlar o estoque da sua empresa de forma otimizada também permite a economia de recursos e a saída de capital para a compra de estoque nos momentos e na quantidade necessária para o seu negócio.

3 – Invista no seu pessoal

Uma pequena empresa nunca se tornará um grande empreendimento se não tiver a melhor equipe de colaboradores. Mas como um pequeno negócio pode investir em pessoal?

Além de buscar sempre os melhores profissionais disponíveis no mercado, é muito importante oferecê-los treinamentos e outras opções para aprimoramento de rotinas profissionais, até mesmo dentro do ambiente da empresa.

Como dissemos, não é porque sua empresa é pequena, que ela não pode aplicar métodos e técnicas comuns em grandes negócios. Na verdade, o crescimento começa desta maneira!

4 – Receba investimentos externos

A partir do momento que um negócio já não é mais “micro”, ele pode despertar o interesse de investidores externos. Que tal abrir diálogos com grupos de investimento e outros agentes para discutir a viabilidade de um aporte?

Com investimentos externos, o seu modesto negócio pode se tornar uma verdadeira sensação. Mas, com grandes aportes também chegam grandes responsabilidades e, normalmente, a empresa sofre alguma interferência do investidor externo, especialmente se ele vier de uma instituição financeira.

5 – Use um software de gestão ERP

Um sistema de gestão empresarial pode ajudar você, com todos os passos necessários para um bom gerenciamento de uma pequena empresa. O ERP pode, por exemplo, ajudar com financeiro, vendas, estoque, tesouraria, emissão de NFe, marketing e relação com clientes, entre outros.

Conheça o ERP WEB Poseidom, a solução completa e inteligente da DP Sistemas. Acesse www.dpsistemas.com.br agora mesmo.

#coder #coding #programmer #computer #computerscience #study #programming #developer #javascript #software #softwaredeveloper #google #linux #php #softwareengineer #geek #tech #technology #entreprenuer #html #java #startups #android #startup #graphics #workspace #webdeveloper #webdesign #programmers #webdevelopment #erp #web #Processos #Design #Empresas #Empresarial #Emprego #Desempenho #Equipe #Estratégia #GeraçãodeValor #Auxilio #Objetivo #Qualidade #Serviço #Economia #Gestão #Aracaju #Sergipe #AracajuComoEuVejo #Aju #Empreendimento #Work #Marketing #Apple #iPhone

Como utilizar o Markup no calculo de preço de venda ?

By | Nuvem, POSSEIDOM

Como determinar o valor de um produto de forma a cobrir corretamente as suas despesas e obter um lucro justo? Essa talvez seja uma das principais dúvidas de quem não tem experiência no comércio. Mas para saber o quanto cobrar sem ter prejuízos e de forma justa com os clientes, existe a fórmula de cálculo markup.

Para quem nunca ouviu falar nisso, trata-se de um índice multiplicador aplicado sobre o custo de um determinado serviço ou produto para que se estabeleça o seu preço final. Ao se calcular esse indicador, composto de taxas fixas e variáveis, sabemos por quanto devemos vender cada artigo de modo a cobrir todos os gastos e garantir um retorno aceitável.

Além disso, com a aplicação do cálculo fica mais fácil definir os limites de descontos para cada produto. Também fica mais simples o processo de precificação das vendas, pois os próprios funcionários podem aplicar a fórmula, evitando que você tenha que determinar o valor de cada artigo.

Cálculo

Antes de calcular o preço de um produto através do markup, é preciso ficar atento a alguns detalhes como a identificação dos percentuais de gatos fixos, despesas variáveis e o lucro presumido para cada item vendido. A partir disso, a aplicação da fórmula é muito simples:

100 / [100 – (DV + DF + LP)]

Com isso, podemos dizer que o total definido na etiqueta de preço é a soma de todos esses elementos, inclusive a margem de lucro. Mas o que compõe cada um dos itens que formam o markup? É importante identificar cada um deles com clareza para que o valor final do artigo não seja alterado para mais ou para menos.

Custo Direto: é o gasto com a aquisição de um produto.

Despesas variáveis: são aquelas que estão ligadas diretamente a venda do item, como a cobrança de impostos e as comissões dos vendedores.

Despesas fixas: são os gastos com taxas administrativas, comerciais, financeiras etc., ou seja, são todos os passivos que não estão incorporados diretamente ao valor do artigo.

Margem de lucro: é o que se espera ganhar sobre o preço inicial unitário de cada produto. Ela pode ser igual para todos os itens vendidos ou ser flexibilizada de acordo com cada peça ou serviço oferecido.

Ressalvas

A utilização da fórmula markup pode ser aplicada de forma eficaz para a precificação na maioria dos casos, na maioria dos negócios, porém alguns cuidados devem ser tomados. Antes de qualquer coisa, converse com o seu contador para entender quais os impostos que incidem sobre as suas mercadorias.

Outro cuidado a ser adotado é buscar informações sobre os preços cobrados por seus concorrentes para que sua empresa não pratique valores acima ou abaixo da média do mercado, pois isso pode, no final das contas, acarretarem prejuízos.

Por fim, agora que você sabe como funciona o índice markup pode cobrar com segurança por seus produtos. Lembre-se, tão importante quanto oferecer um produto de qualidade é obter um retorno justo por ele, pois isso é fundamental para o crescimento do seu negócio.

5 Vantagens de usar um sistema na nuvem para emissão de nota fiscal eletrônica

By | ERP, Nuvem, POSSEIDOM

Em um mundo que rapidamente abandona os processos analógicos, as vantagens de optar pelo armazenamento de documentos em cloud computing são as mais diversas. Na verdade, se engana quem pensa que só agilidade, organização e segurança são os benefícios recebidos pela utilização do sistema de nuvem para o de armazenamento de notas fiscais.

Praticidade

Enviar o fechamento do mês para o contador através de e-mail é coisa do passado. Ao optar pelo sistema de armazenamento em nuvem, a empresa pode compartilhar suas notas com o responsável pela contabilidade de maneira remota; este poderá acessá-la a qualquer momento em qualquer lugar do mundo, através de uma conexão de internet. Isso elimina a necessidade do envio desses documentos através de e-mail, um processo demorado que demanda muito trabalho e que traz, por exemplo, o risco de vazamento.

Preço

Dependendo do porte da empresa, existem serviços de cloud computing gratuitos ou de baixo custo, como o Dropbox ou Google drive, que podem ser utilizados para o armazenamento e o compartilhamento das notas fiscais eletrônicas. Porém, mesmo como a utilização de ferramentas pagas conectadas ao sistema de vendas do seu negócio, os custos do armazenamento em nuvem ainda são menores em relação aos processos convencionais.

Organização

Junto com a segurança e praticidade, outra vantagem é a facilidade de organizar os dados através do armazenamento em cloud. Fica muito mais fácil separar os documentos em pastas criando divisões e subdivisões por datas, tipos de produtos ou setores da empresa. Ao eliminar a necessidade de impressão das notas fiscais também se reduz as chances de extravio ou perda de documentos.

Além disso, sem a necessidade de imprimir cada nota haverá uma óbvia economia, pois não será preciso à compra de arquivos e armários para guardá-las, outro benefício, o armazenamento em nuvem acaba resultando numa diminuição dos custos com a compra de papel, tinta e manutenção para as impressoras.

Backups e segurança

Ao salvar um documento em cloud, a empresa conta com um serviço de backups automáticos, o que evita a perda de dados ou o comprometimento de alguma informação contida na nota fiscal. Isso garante que mesmo sendo acessíveis para vários profissionais, os números fiquem sempre seguros porque apenas pessoas autorizadas poderão visualizar e modificar as notas, o que também minimiza o risco de fraudes.

Ferramentas específicas para NFes

Por fim, no mercado existem empresas que oferecem serviços de cloud computing específicos para a armazenagem de notas fiscais, o que permite muito mais do que o simples controle e gestão de dados. Essas ferramentas disponibilizam funções como a conversão automática para DANFe/PDF e buscas, servidores criptografados, bloqueio contra vírus e invasão de hackers, suporte técnico e muito mais.

Com isso, fica claro que a utilização do sistema em nuvem para emissão de nota fiscal eletrônica é uma forma prática, segura, econômica e fácil de manter a organização, a agilidade e, principalmente, a segurança das informações fiscais e contábeis do seu negócio. Para isso, só é preciso buscar um dos serviços que são oferecidos por empresas especializadas.

#erp #web #Processos #Design #Empresas #Empresarial #Emprego #Desempenho #Equipe #Estratégia #GeraçãodeValor #Auxilio #Objetivo #Qualidade #Serviço #Economia #Gestão #Aracaju #Sergipe #AracajuComoEuVejo #Aju #Empreendimento #Work #Marketing

5 vantagens do uso do Dashboard na sua empresa

By | ERP, Financeiro, Nuvem, POSSEIDOM

Manter uma boa gestão de processos e monitorar resultados costuma ser um grande desafio para a maioria das empresas. Mas essas são práticas que precisam ser realizadas em todas as organizações, independente do seu porte.

A melhor solução para fazer isso é implantando um sistema de dashboard, que permite o acompanhamento dos resultados em tempo real.

Para entender melhor o que é o dashboard e suas vantagens, leia este artigo e saiba como implementar essa importante ferramenta em sua empresa.

O que é Dashboard?

Dashboards são painéis de controle que exibem métricas importantes para alcançar os objetivos de negócio, facilitando o entendimento das informações geradas e apresentando indicadores de crescimento.

O principal objetivo dos dashboards é permitir o monitoramento dos resultados de uma organização, que são divididos em vários indicadores. Mas, para que esse sistema de gestão seja eficiente, é preciso organizar e segmentar as informações para ter as respostas desejadas.

As empresas podem criar dashboards para monitorar qualquer área do negócio. É preciso que elas criem perguntas assertivas para compreender suas necessidades de forma efetiva e alcançar o objetivo esperado.

Existem basicamente três tipos de dashboards: operacionais, táticos e os estratégicos:

Dashboards operacionais

Exibem as métricas que devem ser acompanhadas por analistas para promoverem melhorias em suas tarefas e permitirem maior agilidade em seu trabalho. Esse tipo de painel possibilita o cruzamento de dados que auxiliam os analistas na tomada de decisão para garantir melhor performance e melhores resultados.

Dashboards táticos

Permitem acompanhar os números dos itens nos quais a empresa faz mais investimentos e monitorar o retorno dos mesmos de acordo com o ticket médio.

Dashboards estratégicos

Como o próprio nome diz, esse é o dashboard que fornece informações mais estratégicas para as empresas. Eles apresentam indicadores que permitem fazer comparativos entre diferentes períodos, mostrando a diferença dos resultados atuais com os anteriores.

Principais vantagens do uso de dashboards

A implantação dos painéis de controle oferece diversos benefícios para as empresas. Confira alguns deles:

1- Colabora para a tomada de decisões

Os dashboards permitem a centralização de todas as informações importantes sobre os projetos da empresa, permitindo uma visão mais ampla das principais necessidades do negócio, o que facilita tomar decisões de forma mais ágil e eficiente.

2- Redução de riscos

Os dashboards permitem que as informações sejam atualizadas e organizadas antes de serem distribuídas, permitindo detectar possíveis riscos nas operações antecipadamente. Isso permite que sejam tomadas ações preventivas para minimizar esses riscos.

3- Otimização dos recursos

Os dashboards ajudam a automatizar tarefas manuais e demoradas, promovendo assim uma otimização de tempo e de recursos para realizar as atividades diárias.

4- Promove a participação colaborativa

Como os dashboards são ferramentas acessíveis a todas as áreas da empresa, eles promovem a participação integrada das equipes e maior comprometimento com as metas e objetivos traçados.

5- Cultura focada em resultados

A utilização dos dashboards colabora para implementar uma cultura organizacional com foco em resultados, melhorando o desempenho, a produtividade e o engajamento dos funcionários.

Esse artigo foi útil para você? Então continue acompanhando nosso blog para ler outras matérias que poderão te ajudar a melhorar a gestão dos seus negócios.

 

Dashboard Financeiro:

Dashboard Estoque:

Solicitar Orçamento

×