Tag

Arquivos posseidom - DP Sistemas

NFE 4.0 e ERP Web Posseidom

By | NF-e, POSSEIDOM, SPED

A nova versão da Nota Fiscal, a NFe 4.0, entra em vigor em 02 de agosto de 2018, com novo layout/leiaute, campos de preenchimento e regras de validação e assim sendo a clientes que já utilizam nosso ERP WEB Posseidom não terão que se preocupar com o sistema operacional utilizado nas sua maquinas, nosso sistema pode ser executado em Windows, Linux ou MacOS, contudo existem alguns pontos que devem ser observados.

Produtos devem estar com o código EAN (Código de Barras) corretamente informados.

Produtos farmacêuticos devem ser informados os dados do lote e validade.

Quais são as principais mudanças da NF-e 4.0?

Protocolo TLS 1.2: O uso do protocolo SSL como padrão de comunicação será abandonado a partir da NF-e 4.0. De agora em diante, será adotado o padrão TLS 1.2 ou superior. A medida tem como objetivo tornar todo o processo mais seguro.

Vendas ambulantes: a partir de agora, a opção “Operação presencial, fora do estabelecimento” fica disponível. Ela é destinada às vendas ambulantes, cada vez mais comuns no comércio atual.

Fundo de Combate à Pobreza (FCP): em operações com Substituição Tributária, será possível identificar o valor do percentual de ICMS nos campos de preenchimento do FCP, seguindo o que determina o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal em seu artigo 82.

Indicador de Pagamento: o campo agora passa a fazer parte do Grupo de Informações de Pagamento, com o valor do troco sendo incluído, além da forma de pagamento utilizada (cartão de débito ou crédito, dinheiro, cheque ou vale-alimentação).

Rastreabilidade de Produto: um novo grupo que vai permitir que produtos sujeitos a algum tipo de restrição sanitária sejam rastreados.

Medicamentos: criação de um campo específico para medicamentos, onde deve ser informado o código da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Grupo X-Informações do Transporte da NF-e: criação de duas novas modalidades nesse campo: Transporte Próprio por Conta do Remetente e Transporte Próprio por Conta do Destinatário.

Grupo Total da NF-e: um novo campo no qual será apresentado o valor total de Impostos sobre Produtos Industrializados (IPI), usado em caso de mercadoria devolvida por parte de estabelecimentos que não contribuam com o referido imposto.

 

NFe 4.0 não vai funcionar no Windows XP e Vista

By | POSSEIDOM, SPED

NFe 4.0 não vai funcionar no Windows XP e Vista

A nova versão da Nota Fiscal, a NFe 4.0, entra em vigor em 02 de agosto de 2018, com novo layout/leiaute, campos de preenchimento e regras de validação e assim sendo a NFe 4.0 não vai funcionar no Windows XP e Vista!

Muitos usuários terão que se adequar antes do prazo, pois a mudança do layout/leiaute irá impactar muitos deles, sendo que a NFe 4.0 não funcionará em Windows XP e Vista.

NFe 4.0

As alterações de leiaute da NFe são feitas, geralmente, a cada três ou quatro anos, afim de cumprir atualizações de leis e normas técnicas.

A versão 3.10 está em vigor desde 2014, e a partir do primeiro semestre de 2018 a versão 4.0 já estará em ambiente de produção, substituindo a versão antiga, NFe 3.10, em Julho de 2018 – de acordo com a norma técnica do governo.

Porque a NFe 4.0 não funcionará em Windows XP e Vista?

O Windows Vista e XP são sistemas operacionais que não possuem suporte ao protocolo TLS (Transport Layer Security – Segurança da Camada de Transporte) na sua versão 1.2 ou superior.

Ou seja, na versão NFe 4.0 não será permitida a comunicação via protocolo SSL (Secure Sockets Layer – Protocolo de Camada de Segurança). Apenas o protocolo TLS 1.2 ou versão superior será permitida e autorizada.

O que são os protocolos TLS e SSL?

O SSL e TLS (sucessor do SSL), são protocolos de criptografia para internet, que permitem comunicação segura entre um computador e um servidor, para utilizar serviços da internet, sejam esses, navegar por páginas de web até pagamentos de contas via internet.

Conclusão sobre a NFe 4.0

Se sua empresa utiliza alguns desses sistemas operacionais, Windows Vista ou Winsdows XP, é necessário migrar para o Windows 7 SP1 ou uma versão superior (8, 8.1 ou 10), para poder emitir notas fiscais.

É recomendável que essa mudança seja feita antecipadamente, para que não haja contratempos de última hora e a empresa fique sem emitir notas fiscais.

Para rodar no Windows 7 é necessário que tenha sido instalado o service pack 1 e estar 100% atualizado para que ele seja compativel com o TLS 1.2

Verifique também se o TLS 1.2 está ativado no seu navegador. Caso estiver utilizando o IE, navegue até em Opções da Internet -> Avançadas, e confira se a opção Usar TLS 1.2 está marcada, conforme demonstrado na imagem abaixo.

 

Um outro motivo também que deve-se atentar, são sistemas que utilizam o .NET Framework do Windows, pois algumas versões também não são compatíveis com o protocolo TLS 1.2.

Confira abaixo as versões do Microsoft .NET Framework que dão suporte ao TLS 1.2

  • .NET 4.6.2 ou superior: o protocolo .TLS 1.2 já vem como padrão;
  • .NET 4.5: TLS 1.2 é suportado, mas não é um protocolo padrão. É necessário adicionar um código via programação no sistema para ativá-lo;
  • .NET 4.0: TLS 1.2 não é suportado;
  • .NET 3.5 ou inferior: TLS 1.2 não é suportado.

Versão do Windows x TLS 1.2

Versão do Windows TLS 1.2
Windows XP nao
Windows Server 2003 nao
Windows Vista nao
Windows Server 2008 sim
Windows 7 sim
Windows Server 2008 R2 sim
Windows 8 sim
Windows Server 2012 sim
Windows 8.1 sim
Windows Server 2012 R2 sim
Windows 10 sim
Windows Server 2016 sim

 

MDF-e Manifesto Eletronico de Documentos

By | MDF-e, POSSEIDOM

As empresas que realizam transporte de cargas e mercadorias sabem que a quantidade de documentos que precisam enviar junto com a carga é grande, como nota fiscal/DANFE e DACTE. Desta forma, quando o veículo é parado em algum posto de fiscalização, o motorista precisa entregar todos esses documentos para a fiscalização, que irá conferir e validar as informações. Para facilitar todo esse processo, em dezembro de 2010 foi instituído o Manifesto de Documento Fiscal eletrônico ou MDF-e. O documento é válido em todo território nacional e exigido quando há necessidade de trânsito entre municípios.

A emissão do MDF-e será obrigatória, sempre que haja transbordo, redespacho, subcontratação ou substituição do veículo, do motorista ou de contêiner, ou inclusão de novas mercadorias ou documentos fiscais, para o emitente de NF-e, no transporte intermunicipal de bens ou mercadorias, realizado em veículos próprios ou arrendados, ou mediante contratação de transportador autônomo de cargas.

O principal objetivo do Manifesto é agilizar toda a burocracia que envolve o transporte de cargas, padronizando os processos por meio de um documento único e eletrônico que servirá de modelo para a toda a cadeia logística. Outra vantagem é a economia de papel e de espaço físico para armazenamento de documentos, já que apenas o DACTE precisa ser impresso.

Com isso, o MDF-e contribui para a redução do tempo de fiscalização, uma vez que permite que o fiscal faça a leitura de todos os documentos de uma só vez. Essa prática é muito benéfica para diminuir o prazo de entrega, reduzindo, consequentemente, os atrasos nas entregas de produtos.

O fisco pretende intensificar a fiscalização quanto ao Manifesto já a partir do próximo mês.

Orientamos a todos que efetuam o transporte de mercadorias em veículos próprios ou de terceiros a entrarem em contato com nosso departamento comercial (comercial@dpsistemas.com.br / 79-3259-1038 ) e ative o modulo de Manifesto Eletrônico.

 

https://mdfe-portal.sefaz.rs.gov.br/site/faq

 

#erp #gestao #posseidom #web #webposseidom #mdf-e #sped

Sua empresa já sabe o que é o SPED Reinf?

By | SPED

Imposto de Renda nunca foi um assunto fácil. Muita gente se confunde quando precisa declarar os valores ou contabilizá-los. Porém, uma iniciativa do governo junto ao Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) pode simplificar o pagamento dessas contribuições.

O SPED fiscal ou Sistema Público de Escrituração Digital é um sistema de fiscalização das empresas que permite uma análise mais próxima das ações e facilita o envio de dados. O sistema tem como objetivo unificar validação, recepção, armazenamento e autenticação de livros e documentos que integram as escriturações contábeis e fiscais das Pessoas Jurídicas, através de uma base de dados computadorizada. O SPED também facilita a fiscalização, integrando informações de interesse do governo federal e estadual a um único sistema. O SPED é dividido em três vertentes:

EFD – Escrituração Fiscal Digital
É um arquivo digital que informa todos os documentos e informações fiscais federais, estaduais e municipais que os fiscos precisam saber. Essas informações referem-se aos impostos de ICMS (Imposto Sobre Circulação De Mercadorias e Serviços) e IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados).

ECD – Escrituração Contábil Digital
É escrituração dos documentos contábeis (Livro Diário, Livro Razão e respectivos) em âmbito digital. Ou seja, é o procedimento onde os documentos obrigatórios são substituídos por suas versões eletrônicas. Quando esse documento é gerado, ele é transmitido ao Repositório Nacional do sistema e é disponibilizado para a Junta Comercial, Receita Federal, SEFAZ e demais entidades governamentais responsáveis pelo contribuinte.

NFE – Nota Fiscal Eletrônica
É um documento que existe, é emitido e armazenado exclusivamente por meio digital, que documenta uma operação e/ou transação financeira, uma operação de circulação de mercadorias ou uma prestação de serviços que ocorre entre duas partes.

Mas para que serve o SPED Fiscal?
Par a empresa, o SPED facilita e simplifica, digitalmente, a entrega dos documentos necessários aos fiscos, eliminando a utilização de papéis físicos. Para o governo, auxilia no processo burocrático de entrega desses documentos, facilitando a fiscalização.

Como funciona a entrega do SPED Fiscal?
O SPEAD deve ser entregue utilizando um formulário digital próprio, fornecido pelo próprio sistema e submetido no Programa Validador Assinador (PVA). Após a verificação e validação do arquivo, é necessário que esse documento seja assinado digitalmente utilizando um certificado A1 ou A3 que deverá ser emitida por uma entidade legalmente credenciada.

Onde eu encontro o SPED?
Para baixar o Programa Validador e Assinador, basta acessar a página de download do SPED no site da Receita Federal e seguir o passo a passo. O programa está disponível em versões para Windows e Linux.

Existe um manual?
O próprio SPED oferece um manual para auxiliar no preenchimento e envio do arquivo fiscal. Para baixar o arquivo, basta acessar a página do SPED na Receita Federal.

Existem riscos?
O SPED é um sistema complexo e que deve ser preenchido com muito cuidado e atenção para evitar os erros. No próprio site do sistema é possível encontrar uma lista com os erros mais comuns. Entre eles estão “campos obrigatórios não informados”, “PIS e COFINS não configurados nos afretamentos” e “CST informado por pessoa física”, entre outros. Porém, nada que um pouco de cautela, não possa resolver.

#dpsistemas #coder #coding #programmer #computer #computerscience #study #programming #developer #software #softwaredeveloper #google #softwareengineer #geek #tech #technology #entreprenuer #startups #startup #workspace #webdeveloper #webdesign #programmers #webdevelopment #tecnologia #erp #web #Processos #Empresas #Desempenho

5 vantagens de ter o PCP integrado ao ERP

By | ERP, POSSEIDOM

Ter um negócio está ficando cada vez mais complicado. Mesmo nas pequenas ou médias empresas, é necessário controlar inúmeras etapas. Como fazer para monitorar tudo? Para isso, é fundamental a integração de duas ferramentas. O PCP e o ERP.

O que são?

O PCP, Planejamento e Controle da Produção, é um processo que envolve o controle geral da produção. Ele é encarregado de gerenciar os recursos e o andamento da produção durante todo o percurso. Já o ERP é, em português, o Planejamento de Recursos da Empresa. Trata-se de um software que controla os recursos da empresa, sejam de material, de pessoal ou outros.

Mas quais são as vantagens de fazer uma comunicação entre ambas?

1 – A automatização dos processos

Uma das maiores vantagens do uso do ERP é a automatização de alguns processos. Isso poupa tempo e esforço dos funcionários fazendo com que essa energia pode ser colocada em outra função, provendo um ganho de produtividade. A digitalização dos processos também reduz o custo com materiais físicos, como papel.

Um exemplo de um processo que pode ser automatizado pelo uso do ERP, é o processamento dos salários.

2 – A facilidade de acesso às informações

Quanto tempo é perdido procurando uma informação? Com o ERP, esse problema não existe mais. Como ele controla os recursos da empresa, o acesso a informação é muito mais fácil, rápido e conveniente. E como o sistema é integrado, não há necessidade de ficar procurando dados sobre diferentes setores. Além disso, a atualização é feita em tempo real, portanto, com o software a disposição, possíveis reuniões de controle são muito mais rápidas, pois as informações estão imediatamente disponíveis.

3 – O controle sobre todo o ambiente

O controle é uma etapa fundamental sobre qualquer projeto. Com o ERP, é possível controlar todos os setores da empresa e do processo. Além disso, existe a ajuda na visualização ainda do andamento do processo perante o que foi planejado.

Qualquer problema ou situação que o cliente pode apresentar é facilmente resolvido graças às informações coletadas no software. Uma documentação digital do processo é fundamental para evitar possíveis erros e encontrar os acertos.

4 – A uniformização

Para negócios maiores, um único sistema pode ajudar a facilitar a uniformização das informações, facilitando a comunicação entre elas. Empresas com mais de uma unidade, por exemplo, podem ter um RH unificado, deixando mais claro os benefícios em todos os estabelecimentos.

5 – O aumento de produtividade

A combinação dessas vantagens leva a um considerável aumento da produtividade. Com todas as informações em um único sistema e com todos os segmentos do seu negócio podendo visualizar em tempo real, assim que um cliente novo aparece, todos os setores já sabem o que precisam fazer. A comunicação, e a atribuição das funções se tornam muito mais fácil e rápida, e por conta da documentação, as responsabilidades ficam muito mais claras.

Essas são apenas algumas das vantagens do ERP integrado ao planejamento e controle de produção.

#dpsistemas #coder #coding #programmer #computer #computerscience #study #programming #developer #software #softwaredeveloper #google #softwareengineer #geek #tech #technology #entreprenuer #startups #startup #workspace #webdeveloper #webdesign #programmers #webdevelopment #tecnologia #erp #web #Processos #Empresas #Desempenho

Solicitar Orçamento

×