Tag

Arquivos custos - DP Sistemas

Gestor Web reduz o custo de manutenção do ERP?

By | Custos, ERP, gestao, POSSEIDOM

Sem o ERP, as empresas têm uma vida muito mais difícil. Com tantas tarefas e informação circulando pelo mercado, e com pouco tempo para lidar com elas, contar com o apoio de um sistema de gerenciamento é essencial. Porém, uma liderança eficiente sabe usar esses recursos de forma inteligente, fazendo o controle dos seus custos. Confira como o Gestor Web pode reduzir o custo de manutenção do ERP.

O que é o Gestor Web?

O Gestor Web é um modelo de líder que está focado em trazer mais soluções inovadoras para a sua empresa. Ou seja, ele não somente incorpora uma solução de ERP para o seu negócio, como também busca uma forma de fazê-lo operar da maneira ideal.

Entre as inúmeras vantagens de implementar o ERP com a mentalidade do Gestor Web, é possível interagir melhor com o suporte em diversas ações que permitam fazer um controle melhor das atividades da sua empresa, desde a gestão financeira, de estoque e comercial, com suporte para as notas fiscais eletrônicas.

Um sistema permite, ainda, elaborar gráficos e relatórios que ajudem a reconhecer o desempenho da empresa.

Como funciona a manutenção de um sistema de ERP?

Para aproveitar essas vantagens ao máximo, é ideal que o ERP sofra manutenções regulares. Geralmente, isso ocorre na forma de uma atualização, para fazer o sistema operar de maneira ideal ou por meio de correções de certos problemas pontuais.

É importante que esse processo seja bem dinâmico. As atualizações existem para aproveitar todo o potencial do sistema e, muitas vezes, para garantir que o sistema execute o que o cliente precisa.

Como reduzir no custo de manutenção do ERP?

A redução do custo de manutenção do sistema significa torná-lo mais eficiente, basicamente, de duas formas.

A primeira, é sendo proativo. Existe uma busca constante por melhoria dentro do sistema, implementando novas soluções, novos conceitos e novas tecnologias conforme elas forem evoluindo. Assim, é garantida a máxima performance e operabilidade deste. Ele, então, é o primeiro tipo de manutenção que parte do prestador de serviço para o seu cliente.

Essa manutenção é importante e ajuda a reduzir os custos, pois age de forma preventiva. As atualizações garantem que o sistema está em condições perfeitas, evitando ao máximo chamadas de suporte.

Existem as manutenções “maiores”, em que são disponibilizadas novas versões do sistema, com funcionalidades novas e outras mudanças mais consideráveis. No entanto, existem as “menores”, com patches que pretendem trazer alguma correção de bug ou uma mudança mais específica.

Com isso, chegamos no segundo modelo, que é tão, ou mais, importante. Estes são os pedidos de manutenção que partem do cliente para o prestador de serviço, ou seja, quando o usuário abre uma chamada de suporte.

Isso pode ocorrer por diversos motivos e é algo, na verdade, bem saudável. Desse modo, a DP Sistemas oferece diversos canais de suporte, seja por chat, e-mail ou telefone, inclusive com acesso remoto, para que a resposta possa ser rápida e precisa.

comunicação entre prestador de serviço e cliente é essencial para ter um suporte mais eficiente e reduzir os seus custos. Mesmo que o motivo seja apenas tirar alguma dúvida, implementar alguma funcionalidade que o cliente percebeu ser importante ou corrigir algum erro, é preciso que haja uma aproximação bem grande entre ambos os lados.

É por isso que a DP sistema se foca tanto no seu serviço de manutenção e suporte. Para que os custos sejam os menores possíveis, para ambos os lados, e para que possamos entregar exatamente o sistema que você deseja.

Como formar o preço de venda do seu produto?

By | Custos, ERP, POSSEIDOM

A precificação correta é uma das medidas mais importantes para evitar desregulações financeiras em uma empresa. Para definir o preço de venda de seus produtos, custos, despesas e margem de lucro esperada, eles precisam ser calculados conjuntamente.

Custos

São considerados custos todos os gastos com subsídios para a produção do produto a ser vendido. Definir o que é custo depende de características específicas de cada empresa. Contudo, a delimitação básica é de que tudo o que for imprescindível para a criação do produto, é um custo.

Os custos de uma empresa podem ser diretos ou indiretos, fixos ou variáveis.

Os custos diretos são os mais fáceis de serem contabilizados, correspondendo a tudo que está diretamente ligado à produção. Esses gastos não necessitam de cálculos mais complexos para serem atribuídos ao produto comercializado. Matéria-prima e mão de obra são tipos de custos diretos.

Já os indiretos, apesar de sua incidência no produto ser mais difícil de ser identificada, são necessários para a cadeia produtiva de alguma forma. Por exemplo, gastos com transporte para comprar matéria-prima, energia elétrica usada para operar máquinas na produção etc.

Por sua vez, custos fixos são os que não sofrem alterações, independentemente se o volume da produção ou vendas aumentar ou diminuir. Em contrapartida, os variáveis são modificados dependendo da quantidade de produtos fabricados e comercializados.

O aluguel de uma fábrica ou a compra de um software, por exemplo, são classificados como custos fixos. Já a compra de subsídios ou gastos com pessoal são do tipo variável.

Promoções, produtos que sofrem altas ou baixas devido à sazonalidade, mudanças de fornecedores etc., também influem na variação de gastos.

Há também o custo diferenciado por categoria que soma gastos com armazenagem e manutenção para produtos que precisam desses cuidados para manterem a qualidade.

Despesas e perdas

As despesas correspondem aos gastos com a comercialização dos produtos. Pagamentos de comissões, fretes, marketing e propaganda, aluguel de loja e impostos são alguns exemplos. Despesas também podem ser fixas ou variáveis, influenciadas pelo volume de vendas e produção.

Ainda, as perdas são outro fator que deve ser considerado para formar o preço de venda de um produto. Os artigos a serem vendidos, matéria prima dentre outros que tiverem de ser descartados por algum motivo devem ser registrados. Esse controle é útil para evitar e reduzir esse tipo de prejuízo na empresa futuramente.

Margem de lucro

A margem de lucro deve ser estipulada em porcentagens e incidir sobre os custos da unidade de um produto. De acordo com volume de vendas, demanda dos consumidores e disponibilidade, por exemplo, cada produto pode ter uma margem diferenciada.

Cálculo para formar o preço de venda

Para calcular a precificação, primeiramente devem ser somados todos os custos, despesas e eventuais perdas contabilizados. Após, inclui-se a margem de lucros na fórmula PV = C / (100%-ML), onde PV é preço de venda, C são os custos e ML é a margem de lucro. Feita a divisão dos gastos pela margem de lucro pretendida dividida por cem, tem-se a precificação do produto.

Contudo, outros aspectos também precisam ser levados em consideração na hora de definir o preço de venda. Avaliar os valores praticados por concorrentes é importante para evitar a cobrança muito acima ou abaixo do mercado.

A precificação elevada pode acabar afastando os consumidores, que optarão por alternativas mais econômicas. Por outro lado, ter preços muito baixos pode trazer prejuízos sérios às contas da empresa.

Fontes:

Quanto custa produzir o seu produto ou serviço?

Custos, Despesas e Perdas: Qual a Diferença?

Desvendando a Contabilidade de Custos

Saiba quanto cobrar pelo seu produto ou serviço

Aprenda como calcular o preço de venda de um produto ou serviço de forma simples

Aprenda a calcular preço de venda dos produtos

Como calcular o preço de venda (lucro)

Como calcular preço de venda dos produtos

Como um sistema de gestão pode reduzir custos no processo administrativo da sua empresa

By | ERP, Financeiro, gestao, POSSEIDOM

Cuidar das questões administrativas de uma empresa pode ser para lá de desafiador. Em meio a tantas informações e burocracias do dia a dia, ter um sistema de gestão pode melhorar a organização e cortar custos e mecanismos desnecessários.

O sistema de gestão também é conhecido como Enterprise Resource Planning (EPR). Em tradução livre, significa Sistema Integrado de Gestão Empresarial. Entenda os pontos que esse software pode integrar e automatizar:

• Valores que entraram em caixa e demais questões das vendas;

• Gestão de produção e logística, bem como compras e estoque;

• Gerenciamento de finanças, tanto na contabilidade, quanto fiscalização;

• Controle dos procedimentos de Recursos Humanos.

Geralmente toda empresa já não tem setores responsáveis para cada um desses itens? O que muda de fato com um sistema de gestão?

Sincronia de informações

Embora as empresas tenham setores que cuidam dos itens mencionados, elas ainda lidam com o desafio de fazer uma integração da comunicação. Já parou para pensar no tanto de informações que são perdidas entre os setores?

Como há uma série de processos internos em um empreendimento, pode haver uma série de mal entendidos quando os setores estão desconexos. Já ouviu falar em falha de comunicação? Além disso, há uma série de procedimentos que podem ocorrer com repetições desnecessárias por causa dessa confusão toda.

Nesse sentido, o sistema de gestão é recomendado justamente para ter uma base de dados integrados entre todas as partes da organização. Não vai mais acontecer de haver perdas de informações e contradições, ou seja, nada de retrabalho.

Ao passo que as inutilidades são arrancadas, tal qual ervas daninhas, a tendência é um aumento da produtividade e eficiência. Logo, todos os atos de controles paralelos e planilhas eletrônicas estão com os dias contados.

Aplicação

Como o objetivo do seu sistema de gestão é tornar a visualização de todas as informações da empresa mais fácil e rápida, requer um bom planejamento. Sendo assim, cada EPR deve ser desenvolvido de acordo com a realidade da instituição que o solicita. Por isso, o primeiro passo na hora de escolher o EPR é levantar todos os requisitos da organização. Tudo aquilo que faz parte de sua realidade, protocolos e padrões devem ser verificados com atenção.

Após o levantamento e análise desses requisitos, vem o projeto e a implementação do sistema de gestão. Tanto a equipe de administração, quanto os desenvolvedores do software devem estar alinhados para a obtenção da aplicação que atenda todos os itens.

Depois de finalizado e implantado, o EPR permitirá que a sua gestão tenha mais controle de todos os detalhes, além de fazer as pontes necessárias entre os departamentos. Dá até para ter um olhar redobrado sobre os prazos a serem cumpridos.

Lembra-se de quando os documentos ficavam sendo mexidos e remexidos de forma repetida? Daquelas planilhas eletrônicas que precisavam passar por várias etapas? Ou do excesso de boca a boca? A partir do momento que o sistema de gestão estiver aplicado, todas as informações estarão centralizadas em uma nuvem. Além disso, o acesso pode ser possível até com dispositivos móveis.

Como sistemas ERP web reduzem custos

By | ERP, POSSEIDOM

O Enterprise Resource Planning (sistema de gestão empresarial), popularmente conhecido como ERP, traz inúmeras vantagens agregadas às empresas que adotam esse recurso. Além de entender a escala de produtividade, centralização e automatização de processos, os gestores precisam compreender como sistemas ERP web reduzem custos.

Há uma série de fatores que explicam que módulos online do gênero ajudam a fechar a onerosa torneira de gastos corporativos. Mas, como isso se dá na prática e ajuda no meu negócio? É disto que falaremos no artigo, apontando como sistemas ERP web reduzem custos – adotando, agora mesmo, este modelo moderno e assertivo no seu negócio.

Vantagens para o setor financeiro

O coração de uma empresa é o setor financeiro. Através dele controlam-se questões como fluxo de caixa, entradas e saídas, indicadores e métricas como o ponto de equilíbrio, entre outros. Um sistema ERP web contribui efetivamente nessa área e os motivos podem ser entendidos da seguinte forma:

– Há a centralização e automatização de processos, diminuindo a incidência de erros humanos feitos de forma manual, aumentando a eficiência da gestão de dados financeiros;

– Um sistema ERP web permite a aproximação das contas de outros setores na empresa, ou seja, é possível acompanhar o desempenho das finanças desde as vendas, passando pelo RH até o estoque;

– Criam-se, de forma eficiente e integrada, planejamentos orçamentários, além da interface, fácil e intuitiva, permite mensurar análises e projeções do negócio, impedindo que valores possam passar despercebidos;

– Não é preciso contratar inúmeros profissionais para cuidar das suas finanças; colaboradores que tenham domínio do ERP web, através dos recursos do sistema, podem fazer o trabalho que antes seria designado a várias pessoas.

Integração e otimização interna

Outros dois pontos nos mostram como sistemas ERP web reduzem custos. A integração de processos, que impede que dados fiquem esparsos – o que não fecha a conta; e a otimização interna das rotinas produtivas, aumentando a produtividade e, consequentemente, diminui-se o gasto de contratações ‘extras’ ou terceirização de serviços.

Esse é um ponto indispensável, principalmente por empresas que mantém uma infraestrutura física que onera as contas. Além disso, processos manuais ou até mesmo em sistemas ERP que não tenham o módulo web, diminuem as possibilidades e aumentam o tempo de resposta.

Controle de insumos

O estoque é a dor de muitos empresários, gerando mais custos que o necessário. Além disso, há a possibilidade de itens serem perdidos, furtados ou extraviados. Com um sistema ERP web, isso tudo é coisa do passado: há a gestão efetiva, centralizada e controlada de todos os insumos da sua empresa. Diminui-se, também, o gasto com um software específico para fazer esse trabalho – já que o ERP possui essa funcionalidade.

Integral e remoto

Por fim, quantas oportunidades de negócio foram perdidas por não possuir os dados da sua empresa em uma reunião externa? Isso é um gasto agregado e a perda de uma potencial receita. Com o ERP web é possível ter acesso remoto aos dados do seu negócio e de forma integral, ampliando as possibilidades comerciais. Tudo sem nenhum custo adicional.

Atualmente o sistema ERP web deixou de ser uma opção para pequenas, médias e grandes empresas, tornando-se uma necessidade. Conhecer suas funcionalidades – como as formas que ele ajuda a reduzir custos – trazem vantagens agregadas e, principalmente, torna-se um diferencial competitivo em relação às empresas que não utilizam o software.

Como investir em um software para a sua empresa pode ajudar na redução de custos?

By | ERP, Financeiro, gestao

A tecnologia existe por um objetivo principal: ajudar e facilitar a vida das pessoas. Para as empresas, o objetivo é o mesmo, mas ele traz outra grande vantagem, tão importante quanto: a redução de custos. Confira porque um software é um ótimo investimento, que irá ajudar a sua empresa a reduzir os custos e até mesmo a ganhar mais dinheiro

Read More
Solicitar Orçamento

×