Category

POSSEIDOM

Como um sistema de gestão pode reduzir custos no processo administrativo da sua empresa

By | ERP, Financeiro, gestao, POSSEIDOM

Cuidar das questões administrativas de uma empresa pode ser para lá de desafiador. Em meio a tantas informações e burocracias do dia a dia, ter um sistema de gestão pode melhorar a organização e cortar custos e mecanismos desnecessários.

O sistema de gestão também é conhecido como Enterprise Resource Planning (EPR). Em tradução livre, significa Sistema Integrado de Gestão Empresarial. Entenda os pontos que esse software pode integrar e automatizar:

• Valores que entraram em caixa e demais questões das vendas;

• Gestão de produção e logística, bem como compras e estoque;

• Gerenciamento de finanças, tanto na contabilidade, quanto fiscalização;

• Controle dos procedimentos de Recursos Humanos.

Geralmente toda empresa já não tem setores responsáveis para cada um desses itens? O que muda de fato com um sistema de gestão?

Sincronia de informações

Embora as empresas tenham setores que cuidam dos itens mencionados, elas ainda lidam com o desafio de fazer uma integração da comunicação. Já parou para pensar no tanto de informações que são perdidas entre os setores?

Como há uma série de processos internos em um empreendimento, pode haver uma série de mal entendidos quando os setores estão desconexos. Já ouviu falar em falha de comunicação? Além disso, há uma série de procedimentos que podem ocorrer com repetições desnecessárias por causa dessa confusão toda.

Nesse sentido, o sistema de gestão é recomendado justamente para ter uma base de dados integrados entre todas as partes da organização. Não vai mais acontecer de haver perdas de informações e contradições, ou seja, nada de retrabalho.

Ao passo que as inutilidades são arrancadas, tal qual ervas daninhas, a tendência é um aumento da produtividade e eficiência. Logo, todos os atos de controles paralelos e planilhas eletrônicas estão com os dias contados.

Aplicação

Como o objetivo do seu sistema de gestão é tornar a visualização de todas as informações da empresa mais fácil e rápida, requer um bom planejamento. Sendo assim, cada EPR deve ser desenvolvido de acordo com a realidade da instituição que o solicita. Por isso, o primeiro passo na hora de escolher o EPR é levantar todos os requisitos da organização. Tudo aquilo que faz parte de sua realidade, protocolos e padrões devem ser verificados com atenção.

Após o levantamento e análise desses requisitos, vem o projeto e a implementação do sistema de gestão. Tanto a equipe de administração, quanto os desenvolvedores do software devem estar alinhados para a obtenção da aplicação que atenda todos os itens.

Depois de finalizado e implantado, o EPR permitirá que a sua gestão tenha mais controle de todos os detalhes, além de fazer as pontes necessárias entre os departamentos. Dá até para ter um olhar redobrado sobre os prazos a serem cumpridos.

Lembra-se de quando os documentos ficavam sendo mexidos e remexidos de forma repetida? Daquelas planilhas eletrônicas que precisavam passar por várias etapas? Ou do excesso de boca a boca? A partir do momento que o sistema de gestão estiver aplicado, todas as informações estarão centralizadas em uma nuvem. Além disso, o acesso pode ser possível até com dispositivos móveis.

Como sistemas ERP web reduzem custos

By | ERP, POSSEIDOM

O Enterprise Resource Planning (sistema de gestão empresarial), popularmente conhecido como ERP, traz inúmeras vantagens agregadas às empresas que adotam esse recurso. Além de entender a escala de produtividade, centralização e automatização de processos, os gestores precisam compreender como sistemas ERP web reduzem custos.

Há uma série de fatores que explicam que módulos online do gênero ajudam a fechar a onerosa torneira de gastos corporativos. Mas, como isso se dá na prática e ajuda no meu negócio? É disto que falaremos no artigo, apontando como sistemas ERP web reduzem custos – adotando, agora mesmo, este modelo moderno e assertivo no seu negócio.

Vantagens para o setor financeiro

O coração de uma empresa é o setor financeiro. Através dele controlam-se questões como fluxo de caixa, entradas e saídas, indicadores e métricas como o ponto de equilíbrio, entre outros. Um sistema ERP web contribui efetivamente nessa área e os motivos podem ser entendidos da seguinte forma:

– Há a centralização e automatização de processos, diminuindo a incidência de erros humanos feitos de forma manual, aumentando a eficiência da gestão de dados financeiros;

– Um sistema ERP web permite a aproximação das contas de outros setores na empresa, ou seja, é possível acompanhar o desempenho das finanças desde as vendas, passando pelo RH até o estoque;

– Criam-se, de forma eficiente e integrada, planejamentos orçamentários, além da interface, fácil e intuitiva, permite mensurar análises e projeções do negócio, impedindo que valores possam passar despercebidos;

– Não é preciso contratar inúmeros profissionais para cuidar das suas finanças; colaboradores que tenham domínio do ERP web, através dos recursos do sistema, podem fazer o trabalho que antes seria designado a várias pessoas.

Integração e otimização interna

Outros dois pontos nos mostram como sistemas ERP web reduzem custos. A integração de processos, que impede que dados fiquem esparsos – o que não fecha a conta; e a otimização interna das rotinas produtivas, aumentando a produtividade e, consequentemente, diminui-se o gasto de contratações ‘extras’ ou terceirização de serviços.

Esse é um ponto indispensável, principalmente por empresas que mantém uma infraestrutura física que onera as contas. Além disso, processos manuais ou até mesmo em sistemas ERP que não tenham o módulo web, diminuem as possibilidades e aumentam o tempo de resposta.

Controle de insumos

O estoque é a dor de muitos empresários, gerando mais custos que o necessário. Além disso, há a possibilidade de itens serem perdidos, furtados ou extraviados. Com um sistema ERP web, isso tudo é coisa do passado: há a gestão efetiva, centralizada e controlada de todos os insumos da sua empresa. Diminui-se, também, o gasto com um software específico para fazer esse trabalho – já que o ERP possui essa funcionalidade.

Integral e remoto

Por fim, quantas oportunidades de negócio foram perdidas por não possuir os dados da sua empresa em uma reunião externa? Isso é um gasto agregado e a perda de uma potencial receita. Com o ERP web é possível ter acesso remoto aos dados do seu negócio e de forma integral, ampliando as possibilidades comerciais. Tudo sem nenhum custo adicional.

Atualmente o sistema ERP web deixou de ser uma opção para pequenas, médias e grandes empresas, tornando-se uma necessidade. Conhecer suas funcionalidades – como as formas que ele ajuda a reduzir custos – trazem vantagens agregadas e, principalmente, torna-se um diferencial competitivo em relação às empresas que não utilizam o software.

3 razões para você implementar hoje mesmo um ERP no seu negócio

By | ERP, POSSEIDOM

O ERP é o Sistema Integrado de Gestão Empresarial utilizado pelas empresas para aprimorar o gerenciamento, a administração e a operação de seus negócios. Hoje em dia, em um mercado cada vez mais competitivo, garantir uma gestão de qualidade é fundamental e, para isso, o ERP faz a diferença.

Nesse artigo, iremos lhe mostrar 3 boas razões para implementar hoje mesmo um ERP em seu negócio. Confira!

1. Aumento exponencial de performance

Em todo empreendimento, ter uma boa performance é fundamental, e isso só é tangível através de boa gestão.

Empresas que investem em um ERP contam com uma substancial otimização de processos, que permite automatização de ações na administração dos negócios, criando uma cultura de excelência e modernidade no negócio.

Além disso, a otimização e a agilidade dos negócios permitem que a empresa consiga operar com um custo bem mais reduzido, possibilitando assim uma redução de preços para o consumidor que propicia melhor competitividade no mercado.

2. Crescimento sustentável no mercado

Uma pesquisa realizada pelo instituto IDG Research Services apontou que empresas que usam ERP em sua gestão crescem até 35% mais rápido do que empreendimentos que não utilizam esta tecnologia ainda.

Isso significa que uma empresa que investe em ERP cresce em 8 meses o que uma empresa sem ERP leva um ano inteiro para se desenvolver. É um investimento rentável, que garante retorno e renda para o empreendimento.

Além disso, esse é um crescimento sustentável, estável. Há vários exemplos de empresas que experimentam um crescimento exponencial, mas não mantém seu padrão de qualidade com a expansão, tornando-se caras, ineficientes e insolúveis.

Com as informações em tempo real geradas e centralizadas pelo programa ERP, a sua empresa pode ter um crescimento saudável e sustentável, baseando todas as decisões estratégicas em dados reais, precisos e organizados de maneira lógica e inteligente.

3. Equilíbrio fiscal, tributário, financeiro e gerencial

Para uma empresa, um dos grandes desafios da gestão é estar plenamente em dia com as obrigações burocráticas e legais impostas pelas autoridades brasileiras. Com um sistema ERP, o cumprimento dos deveres fiscais e tributários da empresa se torna muito mais simplificado.

Com este sistema em seu negócio, a empresa passa a ter mais clareza em relação a valores e prazos de pagamento, bem como pode realizar de maneira automatizada a emissão de documentos fiscais para operar em suas vendas e prestações de serviços.

Isso significa que o ERP ajuda a empresa a se manter em plena situação regular diante do fisco, levando mais credibilidade ao mercado. Além disso, dívidas comuns, pagamentos e recebimentos também podem ser administrados com o apoio do ERP, permitindo uma completa gestão financeira do empreendimento.

Se uma nova legislação foi introduzida, com o ERP a sua empresa pode se adaptar às mudanças rapidamente, respondendo de maneira mais agilizada às demandas do mercado consumidor e diminuindo os riscos corporativos consideravelmente.

Mais rendimento, agilidade, menos custos e mais praticidade na gestão. Estas são apenas algumas das vantagens que o ERP pode levar ao seu negócio. Acesse nosso site e saiba mais!

Qual a principal Inovação nos sistemas ERP web pra você?

By | ERP, POSSEIDOM

Toda empresa precisa investir em uma boa gestão das informações para otimizar seus resultados. Em meio a tantas inovações tecnológicas, uma das maiores formas de impactar um negócio é utilizar o ERP. Mas, do que se trata isso e qual a sua principal inovação nas empresas?

Entenda tudo no artigo a seguir. Acompanhe!

O que é ERP?

Também chamado de “Planejamento de Recursos da Empresa”, trata-se de um sistema essencial para fazer a manutenção do negócio, assim como contribui para o seu desenvolvimento. Unindo esta capacidade com o potencial do Brasil, conhecido pela criatividade em alta e sua grande capacidade de inovação, sem dúvidas podemos ter grandes resultados.

Existem vários benefícios em investir no ERP na sua empresa. Conheça alguns a seguir e veja como isso pode fazer a diferença no seu negócio.

Qual é a principal inovação do ERP para a sua empresa?

Há diversos pontos positivos em implementar o ERP no seu negócio. Porém, a maior inovação está na capacidade de se limitar a um espaço físico. Seja você trabalhando remotamente ou não, com certeza haverá momentos em que precisa acessar uma informação. O ERP armazena os dados na nuvem, permitindo que qualquer pessoa que tenha o login possa acessá-los, desde que esteja conectada à internet.

Mas as vantagens não param por aí. Outro ponto positivo está na capacidade de focar em atividades estratégicas da empresa. Vale ressaltar que o ERP possibilita que as atividades do dia a dia sejam melhor centralizadas no sistema, permitindo mais rapidez no acesso à informação.

Investir em ERP também permite que todas as áreas da empresa sejam integradas de forma correta. Então a comunicação é otimizada e os processos são melhores executados. Além disso, os diversos canais de vendas são observados com maior assertividade.

O capital de giro também é otimizado, uma vez que tanto o estoque quanto as operações diárias são melhores executadas. E não podemos nos esquecer de que o ERP possui um ótimo custo-benefício para qualquer outra empresa. O negócio, seja este qual for, tem muita possibilidade de implementar este sistema, e assim consegue obter muitos resultados.

Contudo, vale ressaltar que o sistema ERP tem um resultado proporcional à qualidade do sistema. Por meio disso, nem todo sistema ERP possui o mesmo desenvolvimento que o outro. Isso sem falar que a assistência técnica que a empresa do sistema oferece é diferente.

Agora você deve estar se perguntando: como escolher o ideal? Para começar, busque uma empresa que tenha um histórico no mercado de desenvolvimento de produtos de qualidade. Em seguida, observe o suporte oferecido e a forma como é disponibilizado.

Sempre observe no contrato as especificações técnicas, conferindo sempre se foram os acordados anteriormente. Se a sua empresa possui uma área jurídica, vale a pena que o setor acompanhe o processo. Caso não, contrate um advogado especializado nisso para dar um suporte mais assertivo.

Se você se interessou em obter o ERP ou em investir em sistemas para a sua empresa, entre em contato conosco. Nosso sistema é desenvolvido para otimizar todas as áreas e atividades do seu negócio. Tudo de maneira segura, eficaz e de qualidade.

Estoque: 5 dicas para não errar na hora de controlar o da sua empresa

By | ERP, gestao, POSSEIDOM

Problemas no estoque podem ter péssimas consequências. Erros podem significar um excesso, que resulta em uma quantidade de produto parado, ou em falta, o que leva a uma correria desnecessária para reabastecer. De qualquer forma, um erro neste aspecto tão básico e importante para o sucesso de uma empresa não é aceitável. Por isso, confira 5 dicas para não errar na hora de controlar o estoque.

1 – Documente cada ação

Crie um cadastro para cada produto, ou tipo de produto, e para cada insumo. Em caso de qualquer alteração de status de algum deles, esse cadastro deve ser atualizado. Esse controle rígido é a melhor forma de manter o seu estoque balanceado e de ter as informações mais precisas possíveis.

É possível fazer essa documentação de diversas formas. A opção manual ainda é válida, mas é claro que é muito mais eficiente fazer isso de forma automática. Existem sistemas que permitem fazer esse cadastro e, conforme os produtos forem entrando no sistema, ele próprio se encarrega de fazer essa atualização. Hoje em dia, com a alta competitividade e a rotatividade de produtos, esse tipo de preocupação é praticamente uma obrigação.

2 – Verifique os números

Em qualquer processo de documentação, é sempre vital avaliar os registros. Novamente, assim como na dica anterior, isso pode ser feito de forma automática ou manual. Erros podem acontecer e a única forma de percebê-los antes que seja tarde demais é fazendo uma conferência nos números.

Você pode determinar uma frequência para fazer essa conferência geral e, diariamente, escolher um produto e fazer uma contagem bem rápida. É um investimento de tempo que pode poupar muita dor de cabeça, e até dinheiro, no futuro.

Novamente, a tecnologia mais uma vez surge para facilitar o processo e fazer isso de forma automática.

3 – Fique atento ao espaço físico

Todo o estoque fica guardado em um espaço físico e, evidentemente, um influencia no outro. Portanto, para controlar um, é preciso controlar ambos. Garanta que o seu espaço está completamente adequado para o armazenamento do produto e para as necessidades de estocagem específicas que ele possa ter.

Além disso, o espaço físico precisa estar organizado para que você consiga achar o que procura com o máximo de agilidade. Você pode etiquetar por cores, letras, números ou qualquer forma que facilite o trabalho da sua equipe.

4 – Faça o controle de compras com os fornecedores

A chegada dos produtos no seu estoque também precisa ser muito bem controlada. O ideal é saber exatamente quando cada compra vai chegar e programar o estoque para recebê-la, tanto em relação ao espaço físico como a organização e também com a forma que eles serão vendidos ou redistribuídos.

Receber compras e uma quantidade de produto muito grande, de forma recorrente, pode gerar um efeito bola de neve em que seu estoque está sempre correndo para escoar os produtos com a velocidade necessária. Essa, certamente, não é a melhor forma de trabalhar.

5 – Crie rotinas próprias

A melhor forma de controlar o estoque é criando rotinas que se encaixam melhor nas necessidades do seu produto, da sua empresa e dos seus funcionários. Os procedimentos irão determinar o que deve acontecer com cada produto, a cada interação tanto de entrada quanto de saída.

Para que isso dê certo, todas as partes da sua empresa precisam estar integradas na rotina, prontos para lidar com os problemas e as soluções conforme elas surjam.

A tecnologia oferece soluções excelentes para o controle de estoque. Com a automatização de tarefas de fiscalização e documentação, esse processo é muito mais fácil e tem ótimos resultados para a sua empresa. Garanta que seu estoque estará sempre bem cuidado!

Saiba como um CRM pode tornar-se um aliado do seu negócio no processo de pós-venda

By | CRM, ERP, POSSEIDOM

Muito se engana quem acha que o processo de interação com o cliente acaba com uma venda. Pelo contrário. O processo de pós-venda é tão importante quanto o passo anterior e tem diversos objetivos. Primeiramente, evangelizar o cliente para se tornar um defensor da sua marca, recomendando o seu produto e sua experiência para outras pessoas. Além disso, é uma forma de incentivá-lo a fazer compras futuras também com a sua marca. Para isso, um CRM pode ser um excelente aliado. Quer saber como? Continue a leitura!

O que é CRM?

Começando pelo primeiro passo, vamos esclarecer o que é CRM. Esta sigla significa Customer Relationship Manager, ou seja, Gerenciador de Relacionamento com o Cliente. O termo normalmente se refere a um conjunto de práticas e processos focados no cliente, e em reforçar a relação positiva dele com a marca. Também costuma ser o termo que se refere a um sistema que ajuda a realizar esses procedimentos.

Conheça melhor o seu cliente

Com o conhecimento sobre o que é CRM podemos chegar ao X da questão. Como ele ajuda com o pós-venda?

Primeiramente, o CRM é uma ótima ferramenta de controle de informações. Para se relacionar com o cliente é ideal conhecer o máximo possível sobre ele, de modo a ter insumos para poder ter uma comunicação mais forte e eficaz.

Por exemplo, se o cliente comprou um produto específico seu, o CRM pode guardar essa informação e usá-la como base para o novo contato, no qual são indicadas as melhores formas de fazer a manutenção no produto, por exemplo. Se for lançado um item novo que seria interessante para quem comprou o anterior, o CRM também pode filtrar por quem fez essa compra, de modo a facilitar essa comunicação.

Mas, não são apenas informações em relação às vendas que o CRM reúne. Ele pode conter dados sobre alguma sugestão ou opinião que o cliente deixou, apresentando formas de melhorar o desempenho da empresa. Também pode trazer informações gerais sobre os gostos do cliente, fazendo com que a comunicação seja mais eficiente.

Facilitando o trabalho

Outra grande vantagem do CRM é facilitar o trabalho da sua equipe. Imagine que você lançou um novo produto e quer fazer uma campanha de lançamento. Você elabora um conteúdo para ser lançado para quem já comprou o produto e pode ter um interesse maior no novo lançamento. Sem um sistema de CRM, esse processo é muito difícil. Mas, o sistema permite filtrar cada base de lançamento de e-mail, por exemplo, pela característica que você deseja.

Além disso, o sistema reúne todas as informações em um único local. A equipe de marketing e de vendas tem acesso às informações, permitindo que o contato com os clientes seja muito mais eficiente. Os responsáveis pelo atendimento também podem ter acesso a essas informações e o processo de resolver um problema do cliente é muito mais rápido e positivo. Entendendo como isso é importante para o cliente atualmente, ter uma ferramenta para facilitar esse processo é essencial.

Essas são as grandes vantagens do CRM no processo de pós-venda. Ele permite que você conheça melhor o seu cliente e apresenta as ferramentas para que você consiga alcançá-lo com mais facilidade. Suas campanhas podem ser muito mais efetivas, tanto no seu conteúdo, como na forma como são entregues. Aproveite a tecnologia para tornar o seu processo de pós-venda ainda mais eficiente e a experiência do cliente ainda melhor.

NFe – NT 2019 v1

By | NF-e, POSSEIDOM, SPED

Nas versões 1.00 a 1.10 da NT 2018.005, ficou estabelecido que no dia 07/05/2019 entrarão em vigor a exigência de novas validações relativas a NFe/NFCe.

Porém, essas novas regras foram publicas com alguns complicadores, que podem ocasionar a paralisação da emissão de NFe/NFCe.

Através deste link, é possível realizar o download do documento oficial disponibilizado pela SEFAZ, onde as novas regras de validação são apresentadas.

Algumas Tags, somente podem ser enviadas em Produção, no dia 07/05/19, porém são obrigatórias a partir dessa data.

Ou seja, se enviarmos a Tag em Produção antes de 07/05, o documento será rejeitado, mas se deixarmos de enviar a Tag após 07/05, o documento igualmente será rejeitado…

Então, em outras palavras, o ENCAT espera que você aplique uma parametrização em TODOS os seus clientes finais, de um dia para outro!!!

Conforme pode ser acompanhado ao longos das últimas versões da NT 2018.005, a exigência do Grupo Responsável Técnico sofreu diversas alterações, culminando na prorrogação indefinida para as informações relativas IDCSRT, e para as demais informações somente as UFs de AM, MS, PE, PR, SC e TO exigirão em 03/06, as demais UFs ou optaram por não exigir ou também deixaram para data futura.*

Novas Validacoes

Quais os critérios devem ser levados em conta na hora de escolher um software para a minha empresa?

By | ERP, gestao, POSSEIDOM

A escolha de um software de gestão integrada para uma empresa é uma decisão de caráter estratégico que requer cuidado e ponderação. Afinal, esse é um investimento de alto valor e que tem potencial para modificar os processos e metodologias de trabalho.

Além disso, muitas empresas correm o risco de optar por um sistema que não atende a suas necessidades e não permite a customização de suas funções. Portanto, para viabilizar a melhor decisão possível, queremos esclarecer as suas principais dúvidas. Acompanhe!

O que é um sistema de gestão integrada?

Quando falamos em integração é preciso considerar as atividades de cada área e a forma como elas se relacionam. Por exemplo: a área de compras abastece a linha de produção. Em seguida, os produtos fabricados são comercializados pela área de venda, mas antes disso ficam armazenados na área de estoque.

Isso quer dizer que as informações lançadas no sistema devem ser capazes de percorrer toda essa cadeia e ser compartilhadas entre os profissionais de cada departamento. Como resultado, é possível:

  • Planejar as atividades;
  • Emitir documentos fiscais;
  • Manter o histórico de todas as transações;
  • Evitar a falta ou excedente de mercadorias em estoque;
  • Acompanhar o desempenho da empresa como um todo.

Quais fatores devem ser considerados no momento da escolha?

  • Para as empresas que vão implementar um software de gestão pela primeira vez, é muito comum que surjam dúvidas sobre esse processo e os resultados esperados.

Busque fornecedores confiáveis

  • Devido ao amplo número de empresas desenvolvedoras de programas atuantes no mercado, torna-se desafiador selecionar aquela que tem um produto compatível com a sua empresa. Em muitos casos, a decisão errada pode causar prejuízos que vão além das finanças.
  • Portanto, a nossa recomendação é buscar fornecedores com reputação positiva perante os seus clientes. Consideram-se aspectos como a customização da ferramenta, a disponibilidade de armazenamento de dados na nuvem e o oferecimento de suporte técnico em caso de problemas.

Conheça qual é a sua necessidade

  • Quando há necessidade de automatizar tarefas, controlar os resultados com mais precisão ou emitir documentos fiscais, os gestores tendem a pensar que a ferramenta mais completa sempre é mais adequada.
  • Contudo, nem sempre esse cenário se concretiza como foi pensado anteriormente. Por esse motivo, o primeiro passo, é mapear as atividades para identificar gargalos que impactem a operação.
  • Se apenas uma área da sua empresa requer a adoção de sistemas, é possível adquirir módulos para os departamentos de:
    • Fiscal;
    • Logística;
    • Suprimentos;
    • Estoque de mercadorias.

Verifique a relação custo-benefício

  • Já falamos como esse tipo de investimento pode ter um alto valor dependendo da ferramenta escolhida. Portanto, é importante estimar com precisão qual é o retorno esperado. Por exemplo, a área afetada pode obter maior produtividade, otimização do tempo e, até mesmo, reduzir os custos de forma considerável.
  • Como resultado, a equipe passa a contar com mais uma ferramenta de gestão que visa medir o seu desempenho e apurar informações gerenciais para propiciar a tomada de decisões.
  • Por fim, dedique tempo para tomar a melhor decisão possível, uma vez que o processo de implantação de um novo programa pode ser longo. Com a realização de teste, a migração dos dados e o treinamento da equipe, a sua empresa pode se tornar cada vez mais eficiente e competitiva.

Fluxo de caixa: 4 erros que você não pode cometer no da sua empresa

By | Financeiro, gestao, POSSEIDOM

Não é mistério que gerenciar bem a economia da sua empresa é essencial para conseguir realizar orçamentos precisos e eventualmente lucrar mais. Uma das medidas para conseguir esse controle é o fluxo de caixa. Afinal, registrar cada entrada e saída financeira do seu negócio é essencial para organizar toda sua gestão.

Por ser uma ferramenta importante, ela precisa ser aplicada adequadamente, a fim de evitar falhas que podem te prejudicar no fim das contas. Para que isso não aconteça na sua empresa, selecionamos os erros mais comuns que podem ocorrer no fluxo de caixa.

Não categorizar corretamente

Para que o fluxo de caixa funcione como uma ferramenta organizacional, ele mesmo precisa estar bem estruturado. Não basta apenas dizer o que entrou e saiu, mas deve separar em categorias. Ao fazer isso, o gestor terá mais facilidade em identificar a origem de todos os valores, ajudando a encontrar anomalias e a definir melhor o orçamento por setor.

Mesmo que seja uma fonte eventual que acredita que não vai movimentar muito, seja o mais preciso possível e evite termos genéricos como “outros valores”. Quanto mais preciso nos rótulos, melhor será a gestão.

Não manter o fluxo atualizado

Fluxo de caixa é uma área da administração que exige dedicação constante. É importante manter uma periodicidade para os lançamentos, de maneira a fugir de acúmulos que vão só atrapalhar futuramente. O ideal, independentemente do tamanho da empresa, é fazer atualização diária.

Mesmo que sejam poucos valores, é melhor fazer no dia do que deixar para depois por preguiça e ficar vulnerável a erros. Uma das vantagens de atualizar os dados diariamente é ter informações constantes sobre o funcionamento da sua empresa, se ela está mantendo capital de giro, se consegue lucro, se há um problema, etc. Isso dá velocidade para agir no momento certo e reduzir prejuízos com imprevistos.

Inserir valores que ainda não entraram

Quando a empresa decide uma compra ou consegue uma venda pode ser tentador lançar logo, afinal, atualizar é importante, certo? Pode ser contraditório, mas não é sempre o caso. Dependendo do método de pagamento esses valores não entram na conta de imediato, como em parcelamentos e cheques pré-datados.

Contar com esse dinheiro antes da hora é perigoso, pois a empresa pode utilizá-lo para algum gasto quando, na verdade, não o tem. Pode causar confusão também quando o dinheiro entrar de fato, gerando um lançamento duplicado. Por isso é importante lançar apenas conforme o dinheiro entrar ou sair da conta da empresa.

Não ter cautela com os detalhes

Fluxo de caixa não trata apenas de números, mas de uma série de informações importantes para a empresa, que devem ser registradas de acordo. Um dígito em um local errado pode alterar drasticamente as contas e causar interpretações erradas que podem afetar todo o negócio.

Por causa disso, é importante que os lançamentos sejam feitos com atenção, inserindo os mínimos detalhes e as informações úteis para a gestão. Além disso, todas as entradas e saídas devem ser contabilizadas, mesmo quando o valor é pequeno, porque no fim do mês elas fazem a diferença. Uma dica é usar um software especializado, para facilitar os lançamentos e evitar erros.

Solicitar Orçamento

×