Category

gestao

Acesso as informações da empresa em qualquer lugar e hora!

By | gestao, POSSEIDOM

Em um mercado cada vez mais competitivo, é muito importante que as empresas implementem uma gestão otimizada e que envolva tecnologia de ponta para acessar as informações e os dados em qualquer lugar e em qualquer hora. Para cumprir esta tarefa, nada é mais eficaz do que um ERP de gestão empresarial.

ERP ou Enterprise Resource Planning não apenas facilita a gestão de uma empresa, como protege os seus dados, além de auxiliar no planejamento financeiro, e também no controle de caixa, entre várias outras vantagens.

Benefícios de um ERP de gestão empresarial

Para além da comodidade, um software de gestão de empresas permite reduzir custos e evitar o desperdício de produtos e materiais em geral. É possível, ainda, diminuir custos com mão de obra e eliminar a possibilidade de erros numéricos ou de contabilidade.

Isso também permite o aumento de produtividade da empresa, à medida que todos os processos realizados passam a ser otimizados e contabilizados de forma eficiente e automatizada.

É possível também, por meio do ERP, realizar a integração entre departamentos, o que faz a logística não se tornar confusa ou complicada. Até porque, é essencial que o setor financeiro conheça e tenha acesso aos dados referentes às vendas. Isso facilita todo o processo e faz você ganhar tempo e dinheiro.

Fora todas estas vantagens, a empresa ganha mais agilidade e mais segurança, o que também colabora e conta pontos para o sistema de compliance e outros. Confira abaixo, mais benefícios do software de gestão:

  • Redução do prazo de entrega de produtos e serviços;
  • Eficiência nos processos de suprimentos;
  • Personalização completa;
  • Relatórios e planejamento aprimorados;
  • Melhoria da gestão tributária;
  • Segurança da informação;
  • Melhoria na competitividade;
  • Otimização dos custos de TI;
  • Maior transparência;
  • Segurança de dados;
  • Melhor colaboração e fluxos de trabalho;
  • Maior escalabilidade.

Comodidade é tudo!

Os modelos de gestão não são bem uma novidade no mercado. Mas, com a expansão da tecnologia, é possível nos dias de hoje, mais do que nunca, contar com comodidade no momento de gerir o seu negócio. Isso tudo, sem dor de cabeça.

Por essa razão, é muito importante encontrar no mercado uma empresa séria e de reputação comprovada que permite que o empreendedor consiga checar todas as informações e dados do seu negócio em qualquer lugar e hora, seja por meio de computadores ou por meio de aparelhos celulares.

Nem sempre você ou os seus colaboradores estarão no local do negócio. Além disso, nunca se sabe quando será necessário recorrer a alguma informação sobre o negócio. Contar com o conforto de ter em mãos praticamente toda a gestão de uma empresa é um diferencial para quem quer se destacar.

Ficou interessado? Somos uma empresa que presta serviços em implantação, suporte e manutenção em sistemas ERP desenvolvidos e comercializados por nós. Contamos com uma linguagem moderna e com um sistema integrado e modular.

Independentemente do tamanho da empresa, temos a melhor plataforma e uma equipe de suporte qualificada para atender com excelência. Entre em contato e faça um orçamento já.

Um sistema ERP na Nuvem é caro ?

By | gestao, Nuvem, POSSEIDOM

Muito se fala em Enterprise Resource Planning (ERP) dentro das empresas, como meio facilitador de gestão, mas a dúvida é: será que esse sistema na Nuvem é caro?

O que é ERP?

Esse sistema de gestão empresarial é um organizador que ajuda no planejamento diário da companhia, seja ela integrada ou automatizada, tornando-a mais competitiva no mercado.

No ERP, pode-se ter o controle de compras, de impostos, do ponto dos funcionários, administração de pessoas, margem de lucro, entre outras atividades operacionais e administrativas.

Por que contratar o ERP na Nuvem?

  • Não é caro.

Por ser feito em modelo de assinatura, a empresa escolhe o “pacote”, ou seja, aquele mais compatível com o uso, medido pelo tempo de consumo, espaço no disco, dados utilizados, por exemplo.

Costuma ser muito mais barato que o modelo tradicional, o qual é instalado diretamente no computador. Os gastos também diminuem, porque a equipe técnica não precisa estar necessariamente no local para dar suporte.

  • É seguro.

Na Nuvem, a tecnologia visa ser mais atualizada para evitar invasões cibernéticas e vazamentos de informações confidenciais, além dos backups serem mais frequentes.

Também conta com o uso de criptografia (codifica e decodifica códigos), fazendo os dados continuarem em segurança.

  • Otimização.

Ter ERP na Nuvem evita erros de planilhas como nas tradicionais, já que tem Inteligência Artificial, está ajudando a absorver todos os dados e aproveitá-los da melhor maneira.

Outra curiosidade é que, com o tempo, a Inteligência Artificial se desenvolve cada vez mais de acordo com os interesses nos levantamentos.

Além disso, os funcionários podem realizar as tarefas diárias de forma mais rápida, redistribuindo esse tempo que antes era ‘’perdido’’ com a versão tradicional.

  • Maior controle.

Acessar o sistema fica ainda mais fácil quando na Nuvem, pois pode ser conectado em todo ambiente corporativo e até fora dele, sendo assim, sempre que necessário, até mesmo em smartphones.

Os colaboradores acabam tendo mais autonomia, podendo evoluir não só pessoalmente, mas também em conjunto.

Então, compensa investir no sistema aliado à Nuvem?

Tudo depende da necessidade da sua empresa, mas no geral, sim. O sistema ERP na Nuvem, por ser personalizável, faz existir mais controle sobre todas as informações.

Além disso, é interessante avaliar a qualidade, buscando por fornecedores que disponibilizam a versão para testes, para verificação do “produto” sem compromisso algum, até para saber o que exatamente você precisa.

Se não existe uma equipe de técnicos de informática qualificada na companhia, é muito importante também contratar esse serviço com uma empresa do ramo que entenda sobre o assunto, já que os dados da companhia devem ser mantidos em total segurança. Um ponto positivo é quando o próprio provedor do ERP já tem essa assistência de qualidade.

O Enterprise Resource Planning na Nuvem pode ser contratado por empresas dos mais diversos segmentos, sejam elas de pequeno, de médio ou de grande porte.

Ficou curioso com o sistema e deseja implantá-lo em seu estabelecimento, trazendo maior segurança e agilidade nos processos? Entre em contato com a gente e saiba como podemos ajudá-lo.

Pequenas empresas podem já nascer organizadas?

By | gestao

É muito comum atribuirmos a falta de organização de uma empresa ao fato de ela ser pequena e estar “começando”. Entretanto, ficam-nos algumas perguntas: pequenas empresas podem já nascer organizadas? É possível iniciar um negócio já totalmente estruturado?

Sim, é plenamente possível. Siga conosco, até o final deste artigo, para saber como fazer sua empresa não apenas nascer, mas crescer organizadamente.

Uma ideia, um negócio

Ter uma boa ideia para abrir um negócio não é garantia de sucesso. Uma empresa requer a observância de inúmeros detalhes e, ainda que ela seja pequena, você precisará de contas a pagar, fluxo de caixa, cobrança, compras, estoque, site, logística, enfim, terá muitas demandas em seu dia a dia.

Dessa forma, é essencial organizar todas as suas operações desde o princípio, estabelecendo objetivos, estratégias e prazos de execução.

Planejando seu negócio

Para começar, divida seu negócio em quatro grandes áreas:

  1. 1. Administrativo-Financeira – Concentre nessa área tudo o que se refere a finanças: contas a pagar, contas a receber, contabilidade e fluxo de caixa.
  2. 2. Recursos Humanos – Centralize aqui, contratações, pagamento de salários, comissões e treinamentos.
  3. 3. Comercial – Vendas, compras, estoque, atendimento ao cliente fazem parte desse importante setor.
  4. 4. Operacional – Acompanhamento de todas as atividades que envolvem tanto a produção quanto a execução do serviço que você oferece.

Com essa divisão, é possível você ter, ao mesmo tempo, uma visão geral da empresa, mas também de partes específicas.

Transformação digital

Pequenas empresas também devem se valer da transformação digital . Aliás, é fundamental que desde o início do negócio você não perca tempo com atividades puramente operacionais.

Além disso, a tecnologia otimiza os processos, trazendo economia, inclusive com a folha de pagamento, pois você não necessitará de tantos colaboradores para trabalhos que podem ser feitos automaticamente.

Desse modo, você não terá de lançar a mesma informação duas, três vezes em planilhas diferentes e correr o risco de fazer cálculos errados, por exemplo. Na verdade, há muitos outros benefícios em usar a tecnologia na gestão de empresas.

ERP – Organizando seu negócio

Já existem no mercado, sistemas que integram todas aquelas quatro áreas de que falamos acima. Você já ouviu falar no sistema ERP ?

ERP (Enterprise Resource Planning ou Planejamento de Recursos Empresariais) é um sistema que as organizações utilizam exatamente para integrar todas as informações, dados e processos, de modo a gerir o seu negócio de maneira mais rápida e assertiva.

Veja alguns exemplos de como o ERP consegue ajudar, provando que pequenas empresas podem nascer já organizadas:

  • • Controle de contas: Bancárias, a pagar, a receber;
  • • Emissão automática de Notas Fiscais;
  • • Controle de estoque;
  • • Acompanhamento de fluxo de caixa em tempo real;
  • • Emissão de gráficos e relatórios para analisar o negócio como um todo;
  • • CRM – cadastro de clientes, vendas, marketing, suporte.

Vale ressaltar que esse sistema atende a todos os portes de empresa, uma vez que é modular, ou seja, se você quiser, pode começar com todos os módulos de uma vez ou não. Assim, você tem a possibilidade de personalizar o sistema de acordo com a realidade da sua empresa.

Nosso sistema ERP tem ajudado muitas empresas de grande, médio e pequeno portes a estruturar seus negócios, organizando-os, de modo a crescerem sólida e eficazmente.

Se você tem uma ideia e deseja transformá-la em um negócio rentável, entre em contato conosco para saber mais como o sistema ERP fará sua empresa nascer e crescer organizada e lucrativa.

Gestor Web reduz o custo de manutenção do ERP?

By | Custos, ERP, gestao, POSSEIDOM

Sem o ERP, as empresas têm uma vida muito mais difícil. Com tantas tarefas e informação circulando pelo mercado, e com pouco tempo para lidar com elas, contar com o apoio de um sistema de gerenciamento é essencial. Porém, uma liderança eficiente sabe usar esses recursos de forma inteligente, fazendo o controle dos seus custos. Confira como o Gestor Web pode reduzir o custo de manutenção do ERP.

O que é o Gestor Web?

O Gestor Web é um modelo de líder que está focado em trazer mais soluções inovadoras para a sua empresa. Ou seja, ele não somente incorpora uma solução de ERP para o seu negócio, como também busca uma forma de fazê-lo operar da maneira ideal.

Entre as inúmeras vantagens de implementar o ERP com a mentalidade do Gestor Web, é possível interagir melhor com o suporte em diversas ações que permitam fazer um controle melhor das atividades da sua empresa, desde a gestão financeira, de estoque e comercial, com suporte para as notas fiscais eletrônicas.

Um sistema permite, ainda, elaborar gráficos e relatórios que ajudem a reconhecer o desempenho da empresa.

Como funciona a manutenção de um sistema de ERP?

Para aproveitar essas vantagens ao máximo, é ideal que o ERP sofra manutenções regulares. Geralmente, isso ocorre na forma de uma atualização, para fazer o sistema operar de maneira ideal ou por meio de correções de certos problemas pontuais.

É importante que esse processo seja bem dinâmico. As atualizações existem para aproveitar todo o potencial do sistema e, muitas vezes, para garantir que o sistema execute o que o cliente precisa.

Como reduzir no custo de manutenção do ERP?

A redução do custo de manutenção do sistema significa torná-lo mais eficiente, basicamente, de duas formas.

A primeira, é sendo proativo. Existe uma busca constante por melhoria dentro do sistema, implementando novas soluções, novos conceitos e novas tecnologias conforme elas forem evoluindo. Assim, é garantida a máxima performance e operabilidade deste. Ele, então, é o primeiro tipo de manutenção que parte do prestador de serviço para o seu cliente.

Essa manutenção é importante e ajuda a reduzir os custos, pois age de forma preventiva. As atualizações garantem que o sistema está em condições perfeitas, evitando ao máximo chamadas de suporte.

Existem as manutenções “maiores”, em que são disponibilizadas novas versões do sistema, com funcionalidades novas e outras mudanças mais consideráveis. No entanto, existem as “menores”, com patches que pretendem trazer alguma correção de bug ou uma mudança mais específica.

Com isso, chegamos no segundo modelo, que é tão, ou mais, importante. Estes são os pedidos de manutenção que partem do cliente para o prestador de serviço, ou seja, quando o usuário abre uma chamada de suporte.

Isso pode ocorrer por diversos motivos e é algo, na verdade, bem saudável. Desse modo, a DP Sistemas oferece diversos canais de suporte, seja por chat, e-mail ou telefone, inclusive com acesso remoto, para que a resposta possa ser rápida e precisa.

comunicação entre prestador de serviço e cliente é essencial para ter um suporte mais eficiente e reduzir os seus custos. Mesmo que o motivo seja apenas tirar alguma dúvida, implementar alguma funcionalidade que o cliente percebeu ser importante ou corrigir algum erro, é preciso que haja uma aproximação bem grande entre ambos os lados.

É por isso que a DP sistema se foca tanto no seu serviço de manutenção e suporte. Para que os custos sejam os menores possíveis, para ambos os lados, e para que possamos entregar exatamente o sistema que você deseja.

Conheça a importância do processo de retenção de clientes para o seu negócio

By | CRM, ERP, gestao, Marketing Digital, POSSEIDOM

Como funciona a retenção de clientes?

Grande parte das empresas almeja crescer com base na conquista de novos clientes e elas não estão erradas nesse objetivo, porém algumas se esquecem da força e importância da retenção de clientes. Ela busca manter uma pessoa em sua cartela de clientes e fazê-la consumir seus produtos ou serviços.

Manter um cliente não é uma tarefa fácil ou simples, ela se baseia em ações que tragam satisfação ao consumidor, afinal é ele que garante a rentabilidade de um negócio. A questão é como satisfazer o cliente! Há três ações internas que auxiliam nessa tarefa:

  • Entender o perfil do cliente e seu comportamento de consumo;
  • Adequar o produto ao perfil de cada cliente;
  • Aprimorar os produtos.

Quando o assunto é retenção de clientes, muitas vezes se fala em fidelização. Tais conceitos, de fato, estão relacionados à manutenção de clientes, mas possuem algumas diferenças que valem a pena sua empresa conhecer.

  1. A fidelização de clientes faz parte de um conjunto de ações, enquanto a retenção representa o ponto de partida;
  2. A retenção pode estar baseada em um momento, já a fidelização está relacionada em longo prazo;
  3. Quando a empresa promove ações para evitar a saída do cliente, trata-se do processo de retenção de clientes, mas a fidelização refere-se a uma valorização do consumidor, almejando um relacionamento melhor e mais duradouro com este.

Se sua empresa planeja a fidelização de clientes, então o processo de retenção é o primeiro passo e deveria ser considerado. Uma vez que sua empresa consegue fidelizar clientes, ela terá maior geração de valor do produto e defensores da sua marca, por meio de comentários e postagens nas redes sociais. Afinal, as avaliações de outros consumidores influenciam e muito no momento da compra.

Outro ponto importante na hora de levar em conta a retenção de clientes é a vantagem financeira. A cada cliente adquirido gera um custo para a empresa, porém no momento que sua empresa começa a reter os clientes, ela gera uma economia de receita, já que isso é mais barato do que investir mais dinheiro em novos consumidores, ou seja, a retenção de clientes é um objetivo estratégico que trará benefícios para sua empresa

. Esse investimento apresenta práticas que podem ser aplicadas por sua empresa.

Confira dicas para sua empresa reter clientes:

  • Atenda com qualidade

Além de um ótimo produto, seu cliente deseja ser ouvido e bem atendido de acordo com as suas necessidades. É importante uma equipe de atendimento bem treinada e disposta a solucionar problemas.

  • Valorize a sua marca

Planeje estratégias de branding, a partir do modo que você deseja que sua marca seja vista e reconhecida pelos consumidores.

  • Conheça o perfil do cliente

Para vender produtos e serviços de qualidade é preciso saber para quem você está oferecendo. Não adianta um produto bem desenvolvido, se sua empresa o direciona para o perfil errado de cliente. Produto e consumidor precisam estar em sintonia. Por isso, elabore pesquisas e monte um banco de dados. Tais informações permitirão que sua empresa ofereça o que o cliente deseja.

  • Acompanhe a concorrência

Uma ótima forma de avaliar os serviços e produtos oferecidos, é com base no acompanhamento do mercado. Preste atenção aos novos lançamentos do seu segmento, no que as outras empresas estão investindo e trace estratégias para saber o que os consumidores estão buscando.

Como um sistema de gestão pode reduzir custos no processo administrativo da sua empresa

By | ERP, Financeiro, gestao, POSSEIDOM

Cuidar das questões administrativas de uma empresa pode ser para lá de desafiador. Em meio a tantas informações e burocracias do dia a dia, ter um sistema de gestão pode melhorar a organização e cortar custos e mecanismos desnecessários.

O sistema de gestão também é conhecido como Enterprise Resource Planning (EPR). Em tradução livre, significa Sistema Integrado de Gestão Empresarial. Entenda os pontos que esse software pode integrar e automatizar:

• Valores que entraram em caixa e demais questões das vendas;

• Gestão de produção e logística, bem como compras e estoque;

• Gerenciamento de finanças, tanto na contabilidade, quanto fiscalização;

• Controle dos procedimentos de Recursos Humanos.

Geralmente toda empresa já não tem setores responsáveis para cada um desses itens? O que muda de fato com um sistema de gestão?

Sincronia de informações

Embora as empresas tenham setores que cuidam dos itens mencionados, elas ainda lidam com o desafio de fazer uma integração da comunicação. Já parou para pensar no tanto de informações que são perdidas entre os setores?

Como há uma série de processos internos em um empreendimento, pode haver uma série de mal entendidos quando os setores estão desconexos. Já ouviu falar em falha de comunicação? Além disso, há uma série de procedimentos que podem ocorrer com repetições desnecessárias por causa dessa confusão toda.

Nesse sentido, o sistema de gestão é recomendado justamente para ter uma base de dados integrados entre todas as partes da organização. Não vai mais acontecer de haver perdas de informações e contradições, ou seja, nada de retrabalho.

Ao passo que as inutilidades são arrancadas, tal qual ervas daninhas, a tendência é um aumento da produtividade e eficiência. Logo, todos os atos de controles paralelos e planilhas eletrônicas estão com os dias contados.

Aplicação

Como o objetivo do seu sistema de gestão é tornar a visualização de todas as informações da empresa mais fácil e rápida, requer um bom planejamento. Sendo assim, cada EPR deve ser desenvolvido de acordo com a realidade da instituição que o solicita. Por isso, o primeiro passo na hora de escolher o EPR é levantar todos os requisitos da organização. Tudo aquilo que faz parte de sua realidade, protocolos e padrões devem ser verificados com atenção.

Após o levantamento e análise desses requisitos, vem o projeto e a implementação do sistema de gestão. Tanto a equipe de administração, quanto os desenvolvedores do software devem estar alinhados para a obtenção da aplicação que atenda todos os itens.

Depois de finalizado e implantado, o EPR permitirá que a sua gestão tenha mais controle de todos os detalhes, além de fazer as pontes necessárias entre os departamentos. Dá até para ter um olhar redobrado sobre os prazos a serem cumpridos.

Lembra-se de quando os documentos ficavam sendo mexidos e remexidos de forma repetida? Daquelas planilhas eletrônicas que precisavam passar por várias etapas? Ou do excesso de boca a boca? A partir do momento que o sistema de gestão estiver aplicado, todas as informações estarão centralizadas em uma nuvem. Além disso, o acesso pode ser possível até com dispositivos móveis.

Estoque: 5 dicas para não errar na hora de controlar o da sua empresa

By | ERP, gestao, POSSEIDOM

Problemas no estoque podem ter péssimas consequências. Erros podem significar um excesso, que resulta em uma quantidade de produto parado, ou em falta, o que leva a uma correria desnecessária para reabastecer. De qualquer forma, um erro neste aspecto tão básico e importante para o sucesso de uma empresa não é aceitável. Por isso, confira 5 dicas para não errar na hora de controlar o estoque.

1 – Documente cada ação

Crie um cadastro para cada produto, ou tipo de produto, e para cada insumo. Em caso de qualquer alteração de status de algum deles, esse cadastro deve ser atualizado. Esse controle rígido é a melhor forma de manter o seu estoque balanceado e de ter as informações mais precisas possíveis.

É possível fazer essa documentação de diversas formas. A opção manual ainda é válida, mas é claro que é muito mais eficiente fazer isso de forma automática. Existem sistemas que permitem fazer esse cadastro e, conforme os produtos forem entrando no sistema, ele próprio se encarrega de fazer essa atualização. Hoje em dia, com a alta competitividade e a rotatividade de produtos, esse tipo de preocupação é praticamente uma obrigação.

2 – Verifique os números

Em qualquer processo de documentação, é sempre vital avaliar os registros. Novamente, assim como na dica anterior, isso pode ser feito de forma automática ou manual. Erros podem acontecer e a única forma de percebê-los antes que seja tarde demais é fazendo uma conferência nos números.

Você pode determinar uma frequência para fazer essa conferência geral e, diariamente, escolher um produto e fazer uma contagem bem rápida. É um investimento de tempo que pode poupar muita dor de cabeça, e até dinheiro, no futuro.

Novamente, a tecnologia mais uma vez surge para facilitar o processo e fazer isso de forma automática.

3 – Fique atento ao espaço físico

Todo o estoque fica guardado em um espaço físico e, evidentemente, um influencia no outro. Portanto, para controlar um, é preciso controlar ambos. Garanta que o seu espaço está completamente adequado para o armazenamento do produto e para as necessidades de estocagem específicas que ele possa ter.

Além disso, o espaço físico precisa estar organizado para que você consiga achar o que procura com o máximo de agilidade. Você pode etiquetar por cores, letras, números ou qualquer forma que facilite o trabalho da sua equipe.

4 – Faça o controle de compras com os fornecedores

A chegada dos produtos no seu estoque também precisa ser muito bem controlada. O ideal é saber exatamente quando cada compra vai chegar e programar o estoque para recebê-la, tanto em relação ao espaço físico como a organização e também com a forma que eles serão vendidos ou redistribuídos.

Receber compras e uma quantidade de produto muito grande, de forma recorrente, pode gerar um efeito bola de neve em que seu estoque está sempre correndo para escoar os produtos com a velocidade necessária. Essa, certamente, não é a melhor forma de trabalhar.

5 – Crie rotinas próprias

A melhor forma de controlar o estoque é criando rotinas que se encaixam melhor nas necessidades do seu produto, da sua empresa e dos seus funcionários. Os procedimentos irão determinar o que deve acontecer com cada produto, a cada interação tanto de entrada quanto de saída.

Para que isso dê certo, todas as partes da sua empresa precisam estar integradas na rotina, prontos para lidar com os problemas e as soluções conforme elas surjam.

A tecnologia oferece soluções excelentes para o controle de estoque. Com a automatização de tarefas de fiscalização e documentação, esse processo é muito mais fácil e tem ótimos resultados para a sua empresa. Garanta que seu estoque estará sempre bem cuidado!

Gestão de contratos: por que ela é importante para as empresas?

By | ERP, gestao

Os contratos regem o mundo dos negócios. Uma empresa de prestação de serviços, que vende ou compra produtos precisa lidar com diversos contratos simultaneamente. Mas, o que acontece quando esse número de contratos passa a ser muito grande, especialmente quando cada um tem suas cláusulas específicas? Enquanto a empresa tem poucos parceiros, ou trabalha de forma mais informal, está tudo bem. Mas, no momento do crescimento, a gestão de contratos passa a ser um aspecto fundamental.

O que é a gestão de contratos?

A gestão de contratos é o processo de verificar todos os contratos, especialmente em relação à capacidade de comparação do prometido com o entregue, por ambas as partes. Afinal, empresas podem ter contratos com fornecedores, colaboradores, clientes, prestadores de serviços e diversos outros.

Esses contratos podem ser semelhantes, com algumas diferenças sutis, ou completamente distintos, significando que precisa haver uma gestão muito meticulosa para garantir que cada um deles será cumprido de forma exemplar.

Como você pode imaginar, é possível que esse processo fique bem grande, e extremamente complexo. Quanto maior uma empresa, maior a complexidade dos contratos e o número de cláusulas. É possível que uma empresa pequena já precise de um profissional apenas para esse trabalho e, conforme ela cresça, a equipe de gestão de contratos também.

Por que isso é importante?

O que acontece se um contrato não é cumprido? Ou se alguma cláusula que tinha sido combinada não é obedecida? Problemas. Grandes problemas.

Dependendo da seriedade pode ocorrer até mesmo um processo. Mas, o mais comum é apenas uma dor de cabeça e uma correria para resolver a questão. De qualquer forma, sempre existe um custo quando ocorre algum problema contratual, seja de dinheiro ou da imagem e reputação da empresa.

Pense bem: o que você ia achar de um parceiro que não cumpriu com o contrato que fechou com você? É essa percepção que você quer que o mercado tenha da sua empresa?

Mas, a gestão de contratos não é apenas em casos de erros ou problemas. Quando bem feita, ela apresenta oportunidades de melhor usar o caixa. Por exemplo, se o contrato com o fornecedor demanda um pagamento próximo, este pode ser antecipado, garantindo um melhor fluxo financeiro. É um pequeno exemplo, mas a boa gestão de contratos poupa de muitos problemas e ainda apresenta ótimas oportunidades.

Como fazer a gestão de contratos de forma eficiente?

Ainda assim, apesar de importante, a gestão de contratos não é tão fácil. O profissional pode ficar soterrado em papel e isso certamente não é a maneira mais eficiente. Felizmente, a tecnologia está disponível para facilitar este processo.

Contratos possuem versões digitais, podendo até mesmo ser oficiais, que permitem uma gestão muito mais simples. Você pode organizá-los, encontrá-los e lê-los com mais facilidade e rapidez. É possível procurar informações específicas ou colocar lembretes para as informações mais importantes, conforme certos prazos que estão se aproximando, por exemplo. É uma forma de tornar esse trabalho essencial um pouco mais fácil.

O sistema ainda pode ser mais amplo do que isso, não focando apenas na gestão contratual. Pode fazer integração com diversos outros setores da empresa, como o estoque, o pós-venda e vários outros aspectos de toda a gestão empresarial. É uma forma de facilitar o controle e ter todas as informações reunidas em um único ambiente.

Como investir em um software para a sua empresa pode ajudar na redução de custos?

By | ERP, Financeiro, gestao

A tecnologia existe por um objetivo principal: ajudar e facilitar a vida das pessoas. Para as empresas, o objetivo é o mesmo, mas ele traz outra grande vantagem, tão importante quanto: a redução de custos. Confira porque um software é um ótimo investimento, que irá ajudar a sua empresa a reduzir os custos e até mesmo a ganhar mais dinheiro

Read More

Quais os critérios devem ser levados em conta na hora de escolher um software para a minha empresa?

By | ERP, gestao, POSSEIDOM

A escolha de um software de gestão integrada para uma empresa é uma decisão de caráter estratégico que requer cuidado e ponderação. Afinal, esse é um investimento de alto valor e que tem potencial para modificar os processos e metodologias de trabalho.

Além disso, muitas empresas correm o risco de optar por um sistema que não atende a suas necessidades e não permite a customização de suas funções. Portanto, para viabilizar a melhor decisão possível, queremos esclarecer as suas principais dúvidas. Acompanhe!

O que é um sistema de gestão integrada?

Quando falamos em integração é preciso considerar as atividades de cada área e a forma como elas se relacionam. Por exemplo: a área de compras abastece a linha de produção. Em seguida, os produtos fabricados são comercializados pela área de venda, mas antes disso ficam armazenados na área de estoque.

Isso quer dizer que as informações lançadas no sistema devem ser capazes de percorrer toda essa cadeia e ser compartilhadas entre os profissionais de cada departamento. Como resultado, é possível:

  • Planejar as atividades;
  • Emitir documentos fiscais;
  • Manter o histórico de todas as transações;
  • Evitar a falta ou excedente de mercadorias em estoque;
  • Acompanhar o desempenho da empresa como um todo.

Quais fatores devem ser considerados no momento da escolha?

  • Para as empresas que vão implementar um software de gestão pela primeira vez, é muito comum que surjam dúvidas sobre esse processo e os resultados esperados.

Busque fornecedores confiáveis

  • Devido ao amplo número de empresas desenvolvedoras de programas atuantes no mercado, torna-se desafiador selecionar aquela que tem um produto compatível com a sua empresa. Em muitos casos, a decisão errada pode causar prejuízos que vão além das finanças.
  • Portanto, a nossa recomendação é buscar fornecedores com reputação positiva perante os seus clientes. Consideram-se aspectos como a customização da ferramenta, a disponibilidade de armazenamento de dados na nuvem e o oferecimento de suporte técnico em caso de problemas.

Conheça qual é a sua necessidade

  • Quando há necessidade de automatizar tarefas, controlar os resultados com mais precisão ou emitir documentos fiscais, os gestores tendem a pensar que a ferramenta mais completa sempre é mais adequada.
  • Contudo, nem sempre esse cenário se concretiza como foi pensado anteriormente. Por esse motivo, o primeiro passo, é mapear as atividades para identificar gargalos que impactem a operação.
  • Se apenas uma área da sua empresa requer a adoção de sistemas, é possível adquirir módulos para os departamentos de:
    • Fiscal;
    • Logística;
    • Suprimentos;
    • Estoque de mercadorias.

Verifique a relação custo-benefício

  • Já falamos como esse tipo de investimento pode ter um alto valor dependendo da ferramenta escolhida. Portanto, é importante estimar com precisão qual é o retorno esperado. Por exemplo, a área afetada pode obter maior produtividade, otimização do tempo e, até mesmo, reduzir os custos de forma considerável.
  • Como resultado, a equipe passa a contar com mais uma ferramenta de gestão que visa medir o seu desempenho e apurar informações gerenciais para propiciar a tomada de decisões.
  • Por fim, dedique tempo para tomar a melhor decisão possível, uma vez que o processo de implantação de um novo programa pode ser longo. Com a realização de teste, a migração dos dados e o treinamento da equipe, a sua empresa pode se tornar cada vez mais eficiente e competitiva.
Solicitar Orçamento

×